O gol do volante Richard Fraco aos 46 minutos do segundo tempo salvou o Náutico do empate

Como foi a partida

Ainda em busca de ajustes com o seu novo técnico, Felipe Conceição, o Náutico entrou no Estádio dos Aflitos querendo manter a sequência de vitórias contra o Caruaru City. E a partida foi muito mais difícil do que os torcedores imaginavam. Superar o jogo físico e defensivo do Caruaru exigiu paciência.

Felipe Conceição alinhou o Náutico no no seu habitual 4-3-3. Lucas Perri no gol tinha à sua frente os zagueiros Carlão e Camutanga, com Júnior Tavares (esquerda) e Hereda (direita) nas laterais. No meio, Richard Fraco, Wagninho e Jean Carlos. Na frente, Leandro Carvalho, Robinho e Ewandro.

Assim, o Náutico apresentou um bom repertório nos quinze minutos iniciais, com ultrapassagens, jogadas pelas laterais e bom toque de bola. Até parecia que seria uma vitória fácil, uma vez que aos 23 minutos da primeira etapa, a bola bateu no braço do defensor Léo Cotia. Todavia, a arbitragem não marcou o pênalti, o que causou muita reclamação dos jogadores do Náutico.

Sobre esse momento inicial, o técnico Felipe Conceição declarou após a partida:

Conseguimos construir e entrar pelos dois lados, tivemos muitos cruzamentos na área, e aos poucos vamos melhorando e crescendo. A gente já mudou algumas dinâmicas ofensivas, e hoje temos variação de triangulações pelos lados e também pelo corredor central. Apesar da mesma estrutura, também mudaram as dinâmicas, os laterais, posicionamento defensivo e ofensivo”.

No entanto, após a blitz do começo, o Náutico passou a ter a bola mas apenas nos cruzamentos e bolas paradas é que causava perigo ao goleiro Igor. Ele teve de buscar uma grande defesa numa falta cobrada pelo meia Jean Carlos, que esteve cotado no Cruzeiro, mas permanece no Timbu.

Os volantes Richard Fraco e Wagninho erravam muito na transição ofensiva, dificultando uma saída qualificada e com rapidez. Da mesma forma, o meia Candinho, do Caruaru, esbarrava nesses erros de passe, o que deixava o jogo morno e sem imaginação.

Os recém-contratados Léo Passos e Amarildo, ambos atacantes, já estiveram nos Aflitos para acompanhar o trabalho dos colegas

Na saída para o intervalo, o atacante Leandro Carvalho reconheceu que a sua equipe conseguia abrir espaço, mas faltava finalizar com mais decisão para o gol adversário. E ele nem voltou para a segunda etapa, substituído pelo meia Juninho Carpina.

E a etapa final viu um festival de cruzamentos e bolas aéreas. O Caruaru City fechou a casinha e esperava o apito final para sair com o empate. Enquanto isso, o Timbu rodava e rodava a área do Caruaru, sem conseguir entrar. Era uma posse de bola estéril. Não havia perigo, pois o Caruaru não incomodava nem fazia questão de atacar, sequer nos contra-ataques.

Já no último terço, Felipe Conceição foi com tudo para cima, fazendo substituições ofensivas: o lateral direito Hereda deu lugar ao atacante Kauan Maranhão e Robinho saiu para a entrada de John Kennedy.

Finalmente, aos 46 minutos, o meia Jean Carlos cruzou para o volante Richard Fraco entrar na área e testar para o fundo do gol de Igor. Náutico 1 a 0 no Caruaru City. Não havia tempo para mais nada.

Richard Fraco comemora o seu gol redentor no finzinho da partida

Na coletiva de imprensa, o treinador Felipe Conceição elogiou a entrega de seus comandados: “Foi um time que buscou a vitória o tempo todo e a conquistou com méritos. Lógico que temos que fazer ajustes. Tivemos dificuldade com a última bola no último terço. Crescemos em outros pontos, como no início das jogadas e na fase de criação”.

Conceição também reconheceu o alto número de bolas levantadas na área: “No segundo tempo, o número de cruzamento e de chances mais claras dobrou. Mas temos que melhorar no último terço, foi o que faltou para que o placar fosse mais elevado. Temos muito para crescer ainda, a margem é grande para crescer, mas com a dedicação e entrega desses atletas, vamos continuar com certeza a formar um grupo cada vez mais forte”.

Situação na tabela

Com a vitória, o Náutico chegou à vice-liderança do Campeonato Estadual Pernambucano. O Timbu está empatado com o Santa Cruz, ambos com 16 pontos, mas leva vantagem no saldo de gols, além de estar com um jogo a menos.

O líder é o Retrô, com 21 pontos, numa campanha excepcional: são 7 vitórias e apenas 1 derrota, com o melhor ataque da competição e a defesa menos vazada. Fez 19 e levou 5 gols.

Já o Caruaru City ocupa a quinta colocação: são 11 pontos em 8 jogos: 3 vitórias, 2 empates e 3 derrotas. A campanha mediana também se expressa no número de gols: fez 11 e levou 9. Assim, está na zona de classificação para as quartas de final.

Vale lembrar que líder e vice-líder entram direto nas semifinais do torneio estadual.

Próximas partidas

O Caruaru City joga apenas na próxima quarta-feira, dia 16, contra o Vera Cruz. Enquanto isso, o Náutico já tem o Clássico dos Clássicos, contra o seu rival Sport, neste sábado, dia 12 de março. Ainda sem técnico, o Leão da Ilha do Retiro deve ser dirigido pelo interino César Lucena.


Compartilhe esse conteudo