Cruzeiro venceu o Athletic Club mais uma vez no Mineirão e agora enfrenta o arquirrival Atlético na final do estadual

Com vantagem após a primeira perna da semifinal, o Cruzeiro apenas confirmou a sua classificação para a final neste sábado, no Mineirão. O Athletic Club teve de mandar a partida no Gigante da Pampulha por conta de problemas com a iluminação do seu estádio. Assim, não conseguiu fazer frente ao time celeste.

Agora, o Cruzeiro irá enfrentar o Atlético Mineiro, em jogo único, para decidir o campeão estadual. Por seu turno, o Athletic irá disputar o Troféu do Interior contra a Caldense, eliminada pelo Galo na outra semifinal.

Mais de 18 mil espectadores viram a partida, gerando uma renda de pouco mais de meio milhão de reais

Como foi a partida

Numa tarde bastante quente, acima dos 30 graus Celsius, o Cruzeiro começou bem melhor, principalmente com Waguininho, que acabou jogando mais adiantado no esquema de Paulo Pezzolano. O lateral esquerdo Rafael Santos também deixou o grito de gol engasgado na torcida, ao cobrar uma falta que não entrou por pouco.

O primeiro gol só viria de pênalti. Vitor Roque sofreu falta dentro da grande área e João Paulo converteu a cobrança. Era o gol da tranquilidade, fazendo explodir a torcida cruzeirense no Mineirão.

Contudo, logo em seguida o Athletic empatou a partida, também numa penalidade máxima. O atacante Rafhael Lucas igualou o jogo. A partida era jogada num ritmo frenético e ainda antes do fim do primeiro tempo, Vitor Roque marcou o seu sexto gol nesta temporada. Com apenas 17 anos, a joia cruzeirense participa de um gol a cada 72 minutos. Além disso, ele não precisa dar muitos chutes para balançar as redes: a cada 2 chutes, marca um gol.

Poupado por conta do cartão amarelo, Edu viu do banco a vitória do Cruzeiro; o artilheiro é presença garantida na final do Mineirão 2022


O segundo tempo continuou no mesmo roteiro. O Cruzeiro atacava, agora com sangue novo, após várias alterações de Paulo Pezzolano, que já começou a poupar o time, enquanto o Athletic tentava um contra-ataque para empatar o jogo.

Ricardo Oliveira, o veterano atacante surgido na Portuguesa, com passagens por São Paulo e Santos, além de Atlético-MG, cobrou uma bela falta, mas Rafael Cabral trabalhou bem e mandou para escanteio.

Aliás, se o Athletic não empatou foi muito por conta da boa atuação do goleiro cruzeirense, que fechou o gol na segunda etapa.

Falam os personagens da partida

Após a partida, o experiente goleiro, com passagens por Napoli e Reading, louvou a garra da equipe: “A gente está em fase de construção, tem muito que evoluir. Estamos com determinação muito grande para colocar o clube onde merece. É inadmissível o clube estar onde se encontra. Chegar em uma final era um objetivo. Agora queremos ser campeões. Temos muita vontade de marcar história”.

Já Ricardo Oliveira preferiu comemorar o desempenho de seu novo clube no estadual:  “Bacana a gente chegar para um projeto ambicioso. Um time que uniu atletas que já tinham experiência na primeira divisão. Eu cheguei depois de um ano sem jogar, precisei de um tempo para entrar em forma. O torcedor do Atheltic merece ser aplaudido também. Essa campanha é por todos que acreditaram.”



Compartilhe esse conteudo