Vitória épica e dramática marcou a comemoração da Bolívia Querida no Castelão

Campeão Maranhense do primeiro turno

Foi somente nos acréscimos, quando todos acreditavam que a partida terminaria empatada, que o Sampaio Corrêa conseguiu bater o seu rival Moto Clube. O presidente do clube, Sério Frota, disse ter pago o bicho de R$50 mil aos jogadores, ainda no vestiário, durante a comemoração do título estadual.

Com a vitória, o Sampaio Corrêa garantiu a classificação para a Copa do Nordeste 2023 e para a Copa do Brasil da próxima temporada.

Há cerca de duas semanas, os mandatários dos clubes fizeram uma aposta bastante diferente: o perdedor iria ter de raspar a barba (caso o Moto Clube fosse campeão) ou o cabelo (caso o Sampaio Corrêa vencesse). Assim, sobrou mesmo para Yglésio Martins ficar careca, já que o Papão do Norte foi derrotado com requintes de crueldade.

Duelo em campo e no instagram: rivalidade amistosa entre os presidentes dos clubes

Como foi a partida

Na semana que antecedeu o superclássico, o treinador João Brigatti ainda tinha dúvidas de qual seria o melhor esquema tático para enfrentar o Moto Clube na decisão do primeiro turno do Campeonato Estadual Maranhense.

Ele estava em dúvida entre uma formação mais cautelosa, no 442, ou adotar um estilo mais atacante, com 3 na linha de frente. A segunda opção acabou prevalecendo, com Gabriel Poveda, Ronan e Pimentinha como titulares.

Atrás deles, outra linha de 3, com os volantes Lucas Araújo e Ferreira, além do meia Eloir. No gol, Luiz Daniel, auxiliado pelos zagueiros Joécio e Nilson Júnior. Nas laterais Mateusinho, na direita, e Pará, na esquerda.

De seu lado, o treinador do Moto, Carlos Ferro, escolheu mesmo um onze inicial mais defensivo, com 4 no meio, buscando a superioridade numérica para controlar o ímpeto dos donos da casa. Assim, mandou a campo João Paulo no gol, Diego Renan na direita, Esquerdinha na lateral esquerda, com dupla de zaga formada por Keven e Anderson Cearense.

No meio, Gledson Codó e Jair, com Lineker e Ted Love de meias. Na frente, Dagson e Emerson.

Novidade na final: foi a primeira vez que o VAR foi utilizado numa partida de futebol no estado, com exceção das partidas organizadas pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF) em solo maranhense

O primeiro tempo foi mesmo empolgante, com muita intensidade e pegada de ambas as equipes. Houve oportunidades tanto para a Bolívia Querida quanto para o Papão do Norte. Gabriel Poveda e Ted Love tiveram boas chances para abrir o placar.

Ainda no fim da primeira etapa, uma confusão entre os jogadores fez com que as equipes descessem para os vestiários de ânimos exaltados. A partida prometia pegar ainda mais fogo, já que os dois técnicos trocaram atacantes para dar mais energia no setor ofensivo.

Pelo lado do Tubarão, Ronan deu lugar a Wesley Pionteck, enquanto no Papão, Testinha rendeu Emerson. O Superclássico continuou em fogo alto, com chances lá e cá. Mas foi apenas na última jogada da partida que a torcida do Sampaio Corrêa pôde festejar o título.

Numa bela ultrapassagem pela direita, o lateral Mateusinho arrancou pelo extremo do campo e cruzou rasteiro para o atacante Eron, que havia entrado na segunda etapa, se consagrar como o grande herói do dia. Ele chutou colocado no canto direito do goleiro João Paulo, que nada pôde fazer.


Detalhe da Taça do Primeiro Turno


Após a partida, Eron declarou estar confiante de que seria abençoado com o papel de herói: “É a vida do atacante. Eu sabia que ia sobrar uma ali. E conseguimos dar o título para essa torcida que merece. Atacante tem que entrar para decidir. Essa torcida merece”.

Segundo turno

A fórmula de disputa do Campeonato Maranhense 2022 é um pouco diferente dos anos anteriores. Assim, o Sampaio Corrêa garantiu o título do primeiro turno. Mas no segundo turno, enfrenta os integrantes do outro grupo.

Da mesma forma, os melhores se classificam para as semifinais e depois para a final. Caso o Tubarão vença novamente, não haverá necessidade de fazer uma nova finalíssima. Contudo, se o vencedor for diferente, deverá enfrentar o Sampaio Corrêa em partidas de ida e volta.

Superclássico

Agora, os números do Superclássico são os seguintes:

Sampaio Corrêa: 106 vitórias

Moto Clube: 105 vitórias

Empates: 111

Ao todo são 322 partidas entre os dois rivais do Maranhão.

Compartilhe esse conteudo