(Foto: PABLO PORCIUNCULA/AFP via Getty Images/One Football)

Campeonato Uruguaio: Conheça a tradicional competição

Disputada desde 1900, é uma das mais antigas ligas do mundo, considerada a 23ª mais importante pela IFFHS

Na América do Sul o Campeonato Uruguaio é um dos mais longevos. De forma bem diferente do Brasileirão, adota três torneios curtos:

  • apertura: todos os clubes se enfrentam em partida única com mando de campo sorteado, e  vence quem fizer mais pontos;
  • intermedio: divide 16 times em dois grupos e os líderes de cada um se enfrentam numa final a ser disputada em campo neutro;
  • clausura: é o returno do Apertura, ou seja, os mesmos confrontos com mandos de campo invertidos.

Ao longo de suas 116 edições, mais de sessenta clubes já disputaram a competição, mas, apesar disso, apenas 10 já tiveram o privilégio de ganhar seu título. Títulos esses quase sempre monopolizados pelos rivais Nacional e Peñarol, que somam 98.

Os títulos restantes foram divididos entre Montevideo Wanderers, Defensor Sporting, Danubio e River Plate, com quatro cada um. Completa a lista Rampla Juniors, Bella Vista, Central Español e Progresso com uma conquista cada.

A origem

1880

O futebol chegou ao Uruguai trazido por imigrantes ingleses de Montevidéu, e logo começou a ser praticado pelas agremiações atléticas.

1891

Em 1º de junho foi fundado o Albion Football Club, primeiro clube exclusivamente dedicado à prática de futebol no país.

Albion foi um dos quatro clubes a disputador o primeiro Campeonato Uruguaio, em 1900 (Foto: domínio público)

1900

Foi fundada a Associação Uruguaia de Foot-ball League, que hoje é a Associação Uruguaia de Futebol, visando organizar as competições do esporte no país. O Campeonato Uruguaio foi realizado ainda naquele mesmo ano, disputado por quatro equipes:  CURCC, Albion, Uruguai Athletic e Deutscher.

1914

Desde suas primeiras edições, a competição já era disputada entre o Nacional e o CURCC, que em 1914 fez seu primeiro campeonato com seu novo e definitivo nome: Peñarol.

1921

O Peñarol venceu o campeonato uruguaio e provocou um impasse na Copa Aldao, disputada entre o campeão uruguaio e o argentino. Os Uruguaios se recusaram jogar contra o Huracán, campeão da Associação Argentina de Futebol, querendo o Racing, campeão da Associação Amadora Argentina.

No entanto, a exigência caiu por terra por uma questão de regulamento, que não permitia que clubes filiados a associações profissionais enfrentassem clubes da Associação Amadora Argentina.

1922

A seleção uruguaia disputou a Copa América sem jogadores do Peñarol por decisão do clube em protesto à presença da seleção argentina com jogadores da Associação Argentina de Futebol. Ainda naquele ano, clubes insatisfeitos com o futebol no país fundaram a Federação Uruguaia de Futebol, e organizaram seu próprio torneio entre 32 clubes, o Campeonato Uruguaio de Suficiência.

1925

Com dois campeonatos diferentes sendo disputados, o governo interveio no impasse interrompendo o campeonato da AUF e dando o Nacional como "Primeiro e invicto".

1926

O Conselho Provisório do Futebol Nacional estipulou o Torneio Provisório, que valia vaga para o Campeonato Uruguaio do ano seguinte.

Rampla Juniors, campeão uruguaio de 1925 (Foto: domínio público)

1927

Com 25 vitórias em 38 partidas, o Rampla Juniors conquistou o Campeonato Uruguaio de 1927, que bateu recorde de equipes com 20.

Domínio do Nacional

1939–1943

O Nacional conquistou o primeiro pentacampeonato no futebol uruguaio puxado por um elenco que fez história: Aníbal, Pini, Arrazcaeta, Viana, Galvalisi, Gambetta, Ernesto Castro, Aníbal, García, Porta e Zapirain.

1939

Após terminar empatado com o Peñarol, foi necessária uma partida extra para coroar o Nacional campeão.

1940

Terminou a competição 10 pontos à frente do segundo colocado, o Juniors Rampla. Nessa temporada, em vitória sobre o Peñarol por 5–1, Atilio García marcou 4 gols — todos de cabeça.

1941

Campeão não só invicto como ainda com 100% de aproveitamento, vencendo todas as 20 partidas que disputou. Na última rodada o Nacional venceu o Peñarol por 6–0 no Estádio Centenário, com gols de Zapirain, Atilio (dois), Fabrini, Luis Ernesto Castro e Porta.

1942

Nacional conquistou o título com três pontos à frente do segundo colocado, Peñarol.

1943

O Nacional fecha o penta novamente deixando o Peñarol em segundo lugar, dessa vez cinco pontos atrás. A taça foi levantada em 21 de novembro após vencer seu grande rival por 3–1, com dois gols de Porta e um de Atilio Garcia.

Domínio do Peñarol

1958–1962

Quase 20 anos após o penta do Nacional, foi a vez do Peñarol enfileirar cinco títulos seguidos no Campeonato Uruguaio. A boa fase foi em muito graças às atuações inspiradas de jogadores como Alberto Spencer, um dos maiores ídolos do clube.

1958

Embora tenha começado com o pé esquerdo perdendo para o Rampla Juniors por 2–1, se recuperou no jogo seguinte diante do Liverpool, que venceu por 3–1. No clássico contra o Nacional, não saiu do empate sem gols. Foi campeão com 10 vitórias, 4 empates e 4 derrotas.

1959

Terminou empatado com o Nacional com 26 pontos, se fazendo necesária a partida de desempate, que só foi disputada no ano seguinte. Ela foi marcada pela polêmica inscrição irregular dos jogadores Spencer e Linazza, contratados pelo Peñarol em 60.

1960

Novamente, foi campeão através da partida de desempate, após empatar com o Cerro com 28 pontos. No Estádio Centenário, o Peñarol venceu por 3–1, dois gols de Jupiter Crescio e um de Alberto Spencer.

1961

Foi campeão com 30 pontos somados em campanha quase perfeita: venceu 17 de 18 jogos. Ficou três pontos à frente do segundo colocado, o Nacional.

1962

Fechou o penta com mais uma campanha quase perfeita, onde venceu 16 jogos, empatou um e perdeu um. A cereja do bolo foi a vitória sobre o Nacional em ambos os turnos, por 4–1 no primeiro e 2–0 no segundo.

A era dos pequenos

1976

Essa edição do campeonato foi histórica por ter sido a primeira em sua era profissional a ter sido conquistada por algum outro time que não fosse Nacional ou Peñarol: o Defensor Sporting (então chamado Club Atlético Defensor).

Dessa forma, encerrando uma sequência de 44 títulos seguidos alternados entre os dois maiores clubes, o Defensor conquistou o feito histórico com 32 pontos, um ponto à frente do vice Peñarol.

1984

Após décadas a fio levando o principal título do país, nos anos 80 tanto o Nacional quanto o Peñarol caíram de rendimento. Se antes eles estavam tão acima dos demais que travavam seu próprio duelo pessoal no campeonato, a partir dali se equivaleram aos pequenos, o que foi prenunciado em 1984.

O ano foi marcado pelo Central Español, recém-chegado à primeira divisão conquistando o título da segunda. O pequeno atrevido conseguiu o feito inédito de ganhar logo em seguida o Campeonato Uruguaio.

1987–1991

Esse período de cinco anos é lembrado como o auge da competitividade do Campeonato Uruguaio, tão conhecido por sua bipolarização.

1987

O título foi conquistado pelo Defensor Sporting, que havia anos antes encerrado a sequência de 44 títulos revezados entre Nacional e Peñarol.

1988

Conquistou o título inédito o Danubio, fundado em 1932 e estreado na primeira divisão em 48. Aquele seria o primeiro de quatro títulos, no entanto, só conquistaria os próximos depois do ano 2000.

1989

A taça nesse ano ficou com o Progresso. Sua única conquista na competição, chegou menos de 15 anos após estar na terceira divisão.

1990

Foi a vez do Atlético Bella Vista conquistar o campeonato, que lhe rendeu vaga para disputar a Libertadores da América no ano seguinte. Entretanto, lá foi eliminado como lanterna do grupo da morte, que incluía Flamengo e Corinthians.

1991

Ninguém melhor que o Defensor Sporting para fechar esse período vitorioso para os times pequenos uruguaios. Afinal de contas, tudo começou com ele em 1976.

Essa edição foi marcada também por atos de violência entre torcidas. A Associação Uruguaia de Futebol suspendeu o campeonato até que fossem adotadas medidas que garantissem a segurança nos estádios.

1992

O Nacional põe fim à festa dos pequenos e reencontra o caminho do título.

Segundo penta do Peñarol

1993–1997

Com o título do Nacional em 1992, o Peñarol se viu numa situação incômoda: outrora tão habituado às conquistas, agora se via num jejum que durava desde 86. Entretanto, sua sorte estava prestes a mudar.

1993

Para a nova temporada, Peñarol contratou o técnico Menotti e os jogadores Pablo Bengoechea, Marcelo Otero, Darío Silva, Mario Saralegui e Nelson Gutiérrez. Com a equipe renovada, foi campeão com 36 pontos, dois à frente do Defensor Sporting, a sete do quarto colocado Nacional.

1994

Nas finais, Peñarol e Defensor Sporting empataram os dois primeiros jogos por 1–1. Na terceira partida o Peñarol levou a melhor por 2–1.

1995

Peñarol venceu o Torneio Apertura sobre o Liverpool por 2–0 na partida de desempate. Nas finais, o Peñarol pegou o Nacional, vencendo o primeiro jogo por 1–0, perdendo o segundo por 2–1 e vencendo o terceiro por 3–1.

1996

O Peñarol venceu o Torneio Apertura, enquanto o Nacional venceu o Torneio Clausura. Nas finais, o Peñarol foi campeão com uma vitória por diferença mínima e um empate por 1–1.

1997

Por ter sido o melhor na pontuação geral, o Peñarol fez uma semifinal com o Nacional, campeão do Torneio Apertura, disputando vaga para a final com o Defensor Sporting. Superando ambos, o Peñarol levantou a taça.

1998

Com a contratação de Hugo de León como novo treinador, o Nacional foi campeão realizando o feito inédito de vencer os Torneios Abertura e Clausura na mesma temporada.

Reformulações

2003

Vencendo o Torneio Clausura, o Peñarol mais uma vez foi campeão uruguaio.

2004

A centésima edição do Campeonato Uruguaio ficou com o Danubio, após vencer o Nacional na final por 1–0 com gol de Diego Perrone nos acréscimos.

2006

Foi uma edição histórica por ter sido a primeira vencida por uma equipe do interior do país, o Rocha Fútbol Club, da cidade de Rocha. Os azarões somaram 33 pontos, dois mais que o Nacional.

Além disso, foi o ano da adoção do sistema europeu, onde a temporada é iniciada no segundo semestre de um ano e termina no primeiro semestre do seguinte.

O jovem artilheiro Cavani foi campeão uruguaio pelo Danubio em 2007 (Foto: Media)

O Danubio, do técnico Gustavo Marosas e do atacante Edinson Cavani, conquistou o título nacional vencendo os Torneios Apertura e Clausura.

2017

O Campeonato Uruguaio abriu mão do calendário europeu e voltou a ser disputado dentro de um único ano, de fevereiro a dezembro.

2020

Na disputa do último dos três torneios que formam sua temporada, o Campeonato Uruguaio foi interrompido devido à pandemia de Corona vírus.

2021

Em 16 de janeiro a temporada 2020 foi retomada e concluída, tendo Nacional como campeão.

Confira no quadro abaixo todos os vencedores do Campeonato Uruguaio:

Time

Títulos

Venceu em

Vices

Nacional

48

1902, 1903, 1912, 1915, 1916, 1917, 1919, 1920, 1922, 1923, 1924, 1933, 1934, 1939, 1940, 1941, 1942, 1943, 1946, 1947, 1950, 1952, 1955, 1956, 1957, 1963, 1966, 1969, 1970, 1971, 1972, 1977, 1980, 1983, 1992, 1998, 2000, 2001, 2002, 2005, 2005/06, 2008/09, 2010/11, 2011/12, 2014/15, 2016, 2019 e 2020

44

Peñarol + CURCC

45+5

1900, 1901, 1905, 1907, 1911, 1918, 1921, 1928, 1929, 1932, 1935, 1936, 1937, 1938, 1944, 1945, 1949, 1951, 1953, 1954, 1958, 1959, 1960, 1961, 1962, 1964, 1965, 1967, 1968, 1973, 1974, 1975, 1978, 1979, 1981, 1982, 1985, 1986, 1993, 1994, 1995, 1996, 1997, 1999, 2003, 2009/10, 2012/13, 2015/16, 2017 e 2018

47

Danubio

4

1988, 2004, 2006/07 e 2013/14

3

Defensor Sporting

4

1976, 1987, 1991 e 2007/08

8

River Plate FC

4

1908, 1910, 1913 e 1914

-

Montevideo Wanderers

3

1906, 1909 e 1931

8

Bella Vista

1

1990

1

Progresso


1

1989

-

Central Español

1

1984

-

Rampla Juniors

1

1927

5


Confira todos os campeões do Campeonato Uruguaio ano a ano:

  • 1900-1901: CURCC
  • 1902-1903: Nacional
  • 1905: CURCC
  • 1906: Montevideo Wanderers
  • 1907: CURCC
  • 1908: River Plate FC
  • 1909: Montevideo Wanderers
  • 1910: River Plate FC
  • 1911: CURCC
  • 1912: Nacional
  • 1913-1914: River Plate FC
  • 1915-1917: Nacional
  • 1918: Peñarol
  • 1919-1920: Nacional
  • 1921: Peñarol
  • 1922-1924: Nacional
  • 1927: Rampla Juniors
  • 1928-1929: Peñarol
  • 1931: Montevideo Wanderers
  • 1932: Peñarol
  • 1933-1934: Nacional
  • 1935-1938: Peñarol
  • 1939-1943: Nacional
  • 1944-1945: Peñarol
  • 1946-1947: Nacional
  • 1949: Peñarol
  • 1950: Nacional
  • 1951: Peñarol
  • 1952: Nacional
  • 1953-1954: Peñarol
  • 1955-1957: Nacional
  • 1958-1962: Peñarol
  • 1963: Nacional
  • 1964-1965: Peñarol
  • 1966: Nacional
  • 1967-1968: Peñarol
  • 1969-1972: Nacional
  • 1973-1975: Peñarol
  • 1976: Defensor
  • 1977: Nacional
  • 1978-1979: Peñarol
  • 1980: Nacional
  • 1981-1982: Peñarol
  • 1983: Nacional
  • 1984: Central Español
  • 1985-1986: Peñarol
  • 1987: Defensor
  • 1988: Danubio
  • 1989: Progresso
  • 1990: Bella Vista
  • 1991: Defensor Sporting
  • 1992-1997: Peñarol
  • 1998: Nacional
  • 1999: Peñarol
  • 2000-2002: Nacional
  • 2003: Peñarol
  • 2004: Danubio
  • 2005-2005/06 Nacional
  • 2006/07: Danubio
  • 2007/08: Defensor Sporting
  • 2008/09: Nacional
  • 2009/10: Peñarol
  • 2010/11-2011/12: Nacional
  • 2012/13: Peñarol
  • 2013/14: Danubio
  • 2014/15: Nacional
  • 2015/16: Peñarol
  • 2016: Nacional
  • 2017-2018: Peñarol
  • 2019-2020: Nacional

Para ficar por dentro de tudo sobre o Campeonato Uruguaio, fique ligado aqui no Bets! Aqui você encontra as últimas novidades e histórias dos maiores clubes e campeonatos do mundo.



Compartilhe esse conteudo