Com metade dos titulares formados na própria equipe, FCL é o atual campeão da Copa da Suíça.

Embora não seja uma das grandes potências do futebol na Europa, o FC Luzern é um exemplo a ser seguido: na temporada 2020/21, o time conquistou o título da Copa da Suíça com a metade dos seus jogadores titulares oriundos das categorias de base. Uma proeza que raríssimas equipes se orgulham de ter alcançado até hoje.

Além desse detalhe particularmente agradável, o título encerrou um jejum de 29 anos sem troféus. A consagração aconteceu no dia 24 de maio de 2021, em final contra o St. Gallen no estádio Wankdorf, em Berna. O placar foi de 3 a 1. A partida marcou também o encerramento da carreira de dois veteranos queridos do time: David Zibung e Christian Schwegler.

Por conta da pandemia de covid-19, havia apenas 50 privilegiados espectadores do Luzern no estádio em Berna. Mas a legião de fanáticos jamais abdicaria de comemorar este momento histórico. Os "Cup Winner Boys" foram recebidos por 10 mil torcedores eufóricos no Stadion Allmend, em Luzern, para uma festa que durou horas.

Além de ressaca, a comemoração pelo título da Copa trouxe outras consequências para os dirigentes do Luzern: como não havia autorização para aquele carnaval fora de época, a polícia apresentou queixa contra o clube em julho. No final de agosto, o Ministério Público chegou à conclusão de que a celebração da taça foi, na verdade, um "grande evento proibido".

Como resultado, o FC Luzern foi multado em sete mil francos suíços (o que equivale a aproximadamente 40,3 mil reais). E foi obrigado a pagar por um ônibus que foi vandalizado. Os torcedores iniciaram uma campanha de arrecadação de fundos para cobrir o prejuízo logo que o veredito foi anunciado.

A mobilização foi coordenada por uma página no Facebook chamada "Tackling by Gründerler Bros". O sucesso foi instantâneo: mais de 400 doadores se prontificaram a contribuir com o pagamento da multa. Um momento que os dois fundadores da página (Raffael e Michael Gründerler) descreveram como "magnífico e avassalador".

Luzern foi multado por comemorar título em 2021 e torcedores reuniram doações para pagar multa de 40,3 mil reais (Foto: site oficial do clube)

A torcida é tão presente na vida do Luzern que o clube decidiu, em setembro de 2021, arrendar um restaurante que fica nas proximidades do estádio em que o time manda os seus jogos (o Swissporarena).

"Acima de tudo, isso atenderá a um desejo dos muitos torcedores do FCL, que há anos sonham em ter uma casa ao lado do estádio", disse o comunicado oficial. Também contratou um chef renomado na região: Urs Berger.

O plantel montado para 2022 enfrenta críticas da imprensa e de parte dos apoiadores da equipe. Há dúvidas se as transferências realizadas na última janela são realmente interessantes - embora o presidente do FLC, Stefan Wolf, tenha dito que está confiante o suficiente para "dormir em paz".

Entre os reforços, há pelo menos um que desfruta de prestígio absoluto no Swissporarena: o atacante ganês naturalizado português Asumah Abubakar.

A história do time

Costuma-se dizer na Suíça que o nascimento do FC Luzern se deu em dois momentos históricos: o primeiro foi em 6 de maio de 1867, quando o jornal Luzerner Tagblatt anunciou que uma reunião aconteceria para a tratar da fundação do FCL, e convidou "membros adicionais" para participar.

O segundo é o dia 8 de julho de 1901, em que os amigos Adolf Coulin, Ernst Haag e Hans Walter encontraram-se em um restaurante na rua Seidenhofstrasse para "organizar o estabelecimento do FC Luzern". Quatro dias depois, aconteceu o primeiro treinamento do time, em uma área verde ao sul da cidade chamada Allmend (onde depois se construiria um estádio).

A primeira partida aconteceu em 13 de abril de 1902: derrota de 2 a 1 para o Zofingen. O primeiro gol da história do FCL foi marcado por Albrik Lüthy.

Em 1903, o Luzern tornou-se membro oficial da Federação Suíça de Futebol. Na época, acontecia algo que hoje é inimaginável: as equipes podiam escolher em que divisão iriam jogar. E mais surreal ainda é que o FCL escolheu a terceira divisão. O clube só optaria em disputar a primeira em 1909 (e terminou na parte de baixo da tabela).

Houve um breve momento de evolução com a chegada de Dionys Schönecker, o primeiro treinador profissional a dirigir a equipe. Mas o FCL continuou a patinar. Alternou temporadas na elite e na segunda divisão do futebol suíço, sem demonstrar brilho. Até que veio o primeiro título em 1960.

O primeiro grande troféu do Luzern foi o de campeão da Copa da Suíça (em 60). A torcida esperava que aquela vitória contra o FC Grenchen inaugurasse uma fase épica do clube, que preenchesse a sala de taças. A partir dali, onze treinadores se revezariam no banco de reservas - entre eles o futuro técnico da seleção suíça, Paul Wolfisberg. Mas nenhum deles conseguiu dar ao clube a glória almejada.

O segundo troféu só viria em 1989: o do campeonato suíço. É o maior sucesso da história do Luzern até hoje. O gol decisivo foi marcado pelo atacante alemão Jürgen Mohr, imortalizado na memória dos torcedores do FCL.

Swissporarena: desde 2011, a casa do FC Luzern (Foto: site oficial do time)

Entre os anos 1990 e 2000, o clube viveu o declínio e a ressurreição. Com exceção de uma final de Copa da Suíça em 1997, o time só teve desempenhos medíocres nessas temporadas.

Os maus resultados em campo eram reflexo das dificuldades financeiras pelas quais a equipe passava. Havia também instabilidade política, causada por divergências entre facções de torcedores e o presidente mais longevo da história do FCL, Romano Simioni (que ficou no cargo de 1975 a 1998).

Por muito pouco, o Luzern não perdeu a sua licença na Federação Suíça de Futebol. O Luzern foi rebaixado para 2003 e viveu meses difíceis. O renascimento aconteceria a partir de 2005, com um vice-campeonato na Copa da Suíça, e com a volta à divisão de elite (Super League) em 2006 (após uma série invicta de 31 jogos).

Desde então, o FCL realiza temporadas regulares na primeira divisão e, vez ou outra, belisca vaga em torneios continentais, como a Liga Europa. Passaram pelo clube técnicos que tiveram sucesso como jogadores, mas nem tanto como treinadores. Dois exemplos são Ciriaco Sforza (ex-Inter de Milão e Bayern de Munique) e Fábio Celestini (ex-Olympique de Marselha).

Em maio de 2021, o Luzern conquistou a sua terceira Copa da Suíça, que é também o seu quarto grande troféu.

Brasileiros no time

O Brasil é o segundo país que mais exporta jogadores para o FCL, atrás apenas da vizinha Alemanha. Nos 110 anos de história do clube, já foram 14, que juntos marcaram 66 gols. O destaque é o centroavante Paulo Ramos Vogt, que atuou no estádio Allmend entre 2004 e 2005 e balançou as redes 25 vezes.

Jogadores do FC Luzern comemoram com a torcida (Foto: site oficial do time)
Compartilhe esse conteudo