Escaldado pela eliminação do Ceará, Fortaleza pega o Pacajus para confirmar classificação para as semifinais do Campeonato Cearense

Invencibilidade

O Fortaleza entra em campo nesta quarta-feira, às 17h30, contra o Pacajus, para defender uma incrível invencibilidade no Campeonato Estadual. A última vez em que foi derrotado ainda era no distante ano de 2020, em 3 de março. Na ocasião, o Ferroviário venceu pelo placar mínimo.

Assim, desde praticamente o início da pandemia de coronavírus-19, o Fortaleza não sabe o que é perder no Cearense. Confira os números a seguir:

- 2020: 6 vitórias. Terminou com o bicampeonato.

- 2021: 6 vitórias e três empates. Terminou com o tricampeonato.

- 2022: 1 vitória.

Assim, no total, são 16 partidas, com 41 gols a favor e somente 4 contra. A grande média de gols marcados tem explicação. Nessas partidas, três se destacam. Duas vitórias por 6 a 0 sobre Icasa e Atlético Cearense, além de um 5 a 0 sobre o Guarany de Sobral, fora de casa.

A missão dos comandados de Raimundo Wagner, portanto, é superar o imbatível elenco de Juan Pablo Vojvoda, uma vez que o Leão do Pici tem a vantagem do empate. No jogo de ida, vitória por um a zero, gol de cabeça do zagueiro Titi.

Duelo antigo entre as duas equipes

Ainda há ingressos disponíveis para a partida

Desde ontem, segunda-feira, a venda de bilhetes para a partida decisiva já está aberta. Pelo lado do Fortaleza, os torcedores podem comprar pelo site, na Bilheteria Virtual, ou então diretamente nas Lojas Leão 1918.

Contudo, o sócio-torcedor deverá pagar a meia-entrada, uma vez que o mando de campo é do Pacajus e o Fortaleza joga fora de casa.

Assim, confira a seguir os valores dos ingressos de acordo com o setor do estádio. Tanto o setor inferior sul quanto o norte (mas este é alocado para os torcedores do Pacajus) pagam R$30. Já os setores Bossa Nova e Premium saem por R$40. Vale dizer que todos aceitam meia-entrada, então basta dividir o valor: R$15 no primeiro caso e R$20 no segundo.

Assim, mesmo jogando fora, é esperado que a torcida do Fortaleza seja a maioria no Estádio Alcides Santos.

Local da partida desta quarta-feira entre Pacajus e Fortaleza

Titi ajoelhou ao ver as cenas do ataque terrorista ao ônibus do Bahia

Quem tem acompanhado o noticiário futebolístico aqui no Brasil tem razões para ficar assustado. Enquanto a entrada de investidores estrangeiros passa a ser comum, a violência continua aumentando dentro e fora dos estádios.

No entanto, tem havido uma escalada impressionante de agressões e ataques aos próprios jogadores de futebol. Casos como o volante Villasanti que recebeu uma pedrada da torcida do Internacional no Gre-nal deste fim de semana, ou então o ataque terrorista à delegação do tricolor baiano estão nos tópicos mais comentados do momento.

O zagueiro Titi fez um imenso desabafo ontem, segunda-feira, no último dia de fevereiro: "Vidas foram postas em risco...quando você joga uma pedra ou pratica qualquer tipo de agressão física ao outro, você expõe a vida de outro ser humano. Ao ver aquelas imagens, o goleiro do Bahia, o Danilo, com aqueles ferimentos...imagina o que é isso para a família dele. Eu coloquei meu joelho no chão e agradeci pela vida dele".

Ainda que existam razões de protesto, Titi cobrou respeito e diálogo por parte dos torcedores: “Foi no Paraná, no Rio Grande do Sul e na Bahia. Até quando isso? Não dá para jogar futebol e levar alegria quando você não tem essa segurança. Tem que existir punição. Nós (jogadores) não merecemos passar por essas atitudes como o que aconteceu com o Grêmio e com o Bahia. Espero que as pessoas sejam punidas".

Além dos comentários a respeito do extracampo, Titi também aproveitou a oportunidade para elogiar mais uma vez o trabalho do treinador argentino Juan Pablo Vojvoda, que vem fazendo história à frente do Fortaleza. Além de toda a preparação técnica e tática, Vojvoda insiste muito na tecla da confiança, buscando dar amparo psicológico e mental para seus jogadores:

O treinador argentino Juan Pablo Vojvoda pretende continuar levantando taças pelo Leão do Pici

Passa muito pela mão do Vojvoda. Ele é um cara que nos cobra quase que diariamente para que que consigamos chegar no nosso melhor nível durante os treinamentos e, consequentemente, isso nos auxilia muito para chegar ainda mais preparado nos jogos”, afirmou o zagueiro.

Compartilhe esse conteudo