Tricolor derrotou a equipe colombiana novamente e aguarda a definição do próximo adversário

O Fluminense garantiu na noite desta segunda-feira (01) a classificação para a terceira fase da Libertadores ao derrotar o Millonarios, por 2 a 0. No jogo de ida, o tricolor já havia vencido por 2 a 1, em Bogotá, e garantiu a vaga em São Januário, casa do rival Vasco.

Desde o começo da partida, o time da casa buscou impor seu ritmo e ameaçar o gol adversário. A primeira grande chance veio em chute de Willian, aos 5 minutos do primeiro tempo. Livre, o camisa 17 arriscou boa finalização de fora da área, mas o goleiro Montero fez excelente defesa.

O time visitante encontrava dificuldades para avançar no meio de campo do Flu e acabava forçando as jogadas pelos lados, que geraram lances de perigo para o gol de Fábio.

O Tricolor das Laranjeiras também encontrava a mesma dificuldade e abusava das jogadas pelo lado esquerdo, com destaque para Cris Silva, muito acionado no primeiro tempo. Na direita, o habilidoso Luiz Henrique pouco apareceu para atacar, muito comprometido na recomposição defensiva.

https://explosaotricolor.com.br/wp-content/uploads/2022/01/Notas-4-678x381.png
Cris foi um dos destaques do Fluminense, buscou jogo a todo o momento pelo lado esquerdo e incomodou a defesa adversária. Foto: Lucas Merçon / Fluminense F.C

Os dois jogadores, inclusive, protagonizaram bom lance aos 30 minutos. Cris roubou a bola pouco antes do meio-campo e Luiz Henrique, ao ver o goleiro adiantado, buscou a finalização. A bola passou muito próxima ao gol colombiano.

A principal chance criada pelos visitantes, veio apenas no fim do primeiro tempo. Ruiz levantou a bola na área e Herazo subiu para cabecear no canto de Fábio. A finalização, no entanto, saiu sem força e facilitou a vida do brasileiro.

O Fluminense voltou para o segundo tempo com uma postura agressiva e levou perigo em duas oportunidades ao gol adversário. Primeiro, uma bola levantada sobrou para o zagueiro David Braz, na pequena área, mas o jogador não alcançou para finalizar.

Logo depois, Yago arriscou um chute de fora da área, mas facilitou ao acertar exatamente onde o goleiro estava posicionado.

O gol do Flu saiu justamente na carência do time no primeiro tempo. Luiz Henrique, que pouco havia participado ofensivamente, enfiou boa bola para Callegari que tentou servir Cano.

O argentino finalizou deitado e a bola atingiu o zagueiro adversário. Na sobra, Willian, bem posicionado, abriu o placar.

Referência no ataque com a ausência de Fred, Cano foi pouco acionado durante o jogo. A torcida pediu a entrada do colombiano Jhon Arias, que teve boa atuação no primeiro jogo.

A substituição não demorou a fazer efeito e Arias, que entrou no lugar de Cano, foi lançado nas costas da defesa e tocou de bico na saída do goleiro para aumentar a vantagem tricolor.

Depois disso, a equipe do Millonarios pouco criou. Um chute perigoso do camisa 10, Daniel Ruiz, foi o maior perigo para o gol de Fábio. Ruiz, de apenas 20 anos, é um jovem muito promissor do time colombiano, mas ficou devendo no confronto.

O volante Martinelli, que brilhou e mudou o primeiro jogo, demorou a ser acionado neste jogo. Entrou apenas aos 37 e conseguiu ainda arriscar um chute de fora da área. A bola, no entanto, passou longe do gol.

Para a torcida presente em São Januário, o clima já era de festa. Gritos de “olé” marcaram o final do jogo e deram som a classificação do Fluminense para a próxima fase da Copa Libertadores.

Martinelli vem sendo titular absoluto do Fluminense — Foto: Mailson Santana FFC
Martinelli foi fundamental no primeiro jogo. No segundo, demorou a sair do banco e pouco produziu. Foto: Mailson Santana / Fluminense F.C.

Adversário da próxima fase

O Fluminense aguarda a definição do seu adversário na terceira fase da competição continental. O oponente virá do confronto entre Olímpia, do Paraguai, e Atlético Nacional, da Colômbia. Os paraguaios venceram o primeiro duelo por 3 a 1, em casa. O jogo de volta acontecerá nesta quinta-feira, dia 3.

Time imbatível

Com a vitória, o Fluminense atinge a expressiva marca de dez vitórias seguidas na temporada. É a primeira vez que o clube atinge tal feito em 100 anos e já é a segunda maior sequência de resultados positivos para os cariocas.

Em 1919, o tricolor venceu 13 jogos seguidos, maior marca histórica do time. Para empatar a sequência, o Flu terá dois jogos pelo Campeonato Carioca e o primeiro jogo da terceira fase da Libertadores. Resende e Boavista, fora de casa, serão os adversários do Fluminense. O adversário da Liberta ainda será definido.

Germán Cano, o terror do Millonarios

Autor de um dos gols da partida de ida, em Bogotá, o jogador argentino costuma ter boas atuações e balançar a rede contra a equipe colombiana. Durante o período em que defendeu o Independiente Medellín, o atacante marcou sete vezes contra o Millonarios.

Com a lesão de Fred, coube a Cano o protagonismo no ataque tricolor. Em entrevista coletiva que antecedeu o confronto, o jogador reafirmou o desejo de ajudar a equipe.

“Estou muito preparado para ajudar o time, seja no banco ou de titular. O Abel que decide quem vai jogar. Eu estou tranquilo jogando e recebo com muito carinho esse afeto da torcida e isso é muito importante”, afirmou o atacante argentino.

https://s3.amazonaws.com/assets-fluminense/uploads%2F1643937299478-51861344280_f86102213c_k.jpg
Cano era esperança de gol no confronto, mas, pouco acionado, quase não apareceu. Foto: Mailson Santana / Fluminense F.C.

Mesmo atuando pelo Fluminense, o jogador não deixou de se sentir em casa jogando em São Januário. Ex-atleta do Vasco, Cano teve boa passagem pelo Gigante da Colina: "Eu joguei muito tempo ali, é um campo muito bom”, disse durante entrevista coletiva.

Cano não teve um bom desempenho neste segundo jogo. Foi pouco acionado e, nas poucas oportunidades que teve, não manteve o histórico contra o time colombiano.

Compartilhe esse conteudo