O futebol russo normalmente é protagonizado pelos times da capital Moscou, como o CSKA e o Spartak, ou mesmo pelo time de São Petersburgo, o Zenit. Porém, nos últimos anos, outros clubes têm ganhado mais destaque, figurando entre os principais times da Rússia e disputando torneios importantes na Europa. Um desses times é o Rostov.

O Football Club Rostov é um time da cidade de Rostov-no-Don, próxima ao Mar Negro, na região sudoeste da porção europeia da Rússia. O clube foi fundado em 1930 como Selmashstroy, e o clube trocou várias vezes de nome até adotar sua atual nomenclatura em 2003. Atualmente o clube funciona como uma sociedade anônima de futebol, sendo administrado pelo governo da região de Rostov-no-Don.

Desde sua criação o clube jogava no estádio Olimp-2, com capacidade para pouco mais de 15 mil torcedores. Contudo, desde 2018, o Rostov passou a jogar também na Arena Rostov, que foi um dos estádios que receberam partidas da Copa do Mundo de 2018. O novo palco do clube tem capacidade para 45 mil torcedores e cumpre vários critérios do chamado "padrão FIFA" para receber jogos oficiais de futebol.

A Arena Rostov passou a ser a nova casa do FC Rostov após a Copa do Mundo de 2018 (Foto: Wikipédia)

O Rostov tem uma história bem modesta, tendo participado pela primeira vez do antigo Campeonato Soviético em 1950. Através das décadas, o clube nunca chegou a ter uma campanha de grande destaque até os anos 1990, quando a União Soviética acabou após o final da Guerra Fria, e o Campeonato Russo precisou ser reestruturado.

O clube tem apenas dois títulos oficiais em sua história: o da segunda divisão nacional em 2008 e o da Copa da Rússia na temporada 2013-2014. No Campeonato Russo, sua melhor posição veio na temporada 2015-2016, quando foi vice-campeão e garantiu uma vaga inédita para a Liga dos Campeões da UEFA na temporada seguinte.

Em 2014, o Rostov conquistou a Copa da Rússia, sua maior conquista até hoje (Foto: ITAR-TASS)

Alguns dos jogadores do passado recente que se destacaram pelo clube são o goleiro croata Stipe Pletikosa, o norte-coreano Hong Yong-Jo, o sul-africano Matthew Booth, o iraniano Sardar Azmoun e os russos Yuri Kovtun, Dmitri Loskov, Artem Dzyuba, Georgy Gabulov e Dmitri Kirichenko, sendo que este último já trabalhou no Rostov como parte da comissão técnica do clube após se aposentar dos gramados.

O Rostov já havia disputado torneios europeus antes, participando de duas Copas Intertoto e uma vez da Liga Europa, mas nenhuma experiência se comparou com sua estreia na Liga dos Campeões. O clube Russo precisou eliminar o Anderlecht (Bélgica) e o Ajax (Holanda) antes de chegar na fase de grupos, onde teria como adversários PSV (Holanda), o Atlético de Madrid (Espanha) e o Bayern de Munique (Alemanha), sendo os dois últimos uns dos times mais fortes de todo o continente europeu.

Na campanha, o Rostov somou apenas 5 pontos, mas teve um dos resultados mais surpreendentes daquela temporada: sua única vitória foi logo sobre o Bayern de Munique, vencendo o time bávaro por 3x2 em casa. Terminando o grupo já terceira posição, o clube russo foi realocado para disputar o mata-mata da Liga Europa, onde eliminou o Sparta Praga (República Tcheca) na fase de 16 avos-de-final e caiu para o Manchester United (Inglaterra) nas oitavas-de-final.

Em sua única participação na Liga dos Campeões da UEFA, o Rostov conseguiu vencer o Bayern de Munique (Foto: Reprodução/Sky Sports)

O Rostov desde então busca fazer planejamentos em longo prazo, investindo em categorias de base e em melhores estruturas para seu clube. Porém, as últimas temporadas do time não têm sido muito brilhantes. Na temporada 2020-2021, o Rostov foi eliminado da Liga Europa ainda nas preliminares, e terminou o Campeonato Russo apenas em nono lugar, somando 43 pontos em 30 jogos.

Naquele ano, que ficou marcado pelo início da pandemia do coronavírus, o clube teve que utilizar o time sub-17 em algumas partidas do campeonato nacional, por conta de casos de COVID-19 entre os profissionais. Em um desses jogos, por exemplo, o Rostov acabou perdendo para o Sochi por 10x1 porque não podia contar com ninguém do elenco principal.

Já na atual temporada (2021-2022), o Rostov foi eliminado no primeiro embate da Copa da Rússia e hoje corre risco de rebaixamento, estando hoje na 14ª posição entre os 16 times que jogam a Premier League russa - hoje, o time teria que disputar uma repescagem contra um time da segunda divisão para garantir a permanência. O clube também tem sofrido com problemas financeiros, ao ponto dos jogadores chegarem a ter quatro meses de salários atrasados.

Dessa forma, fica evidente como a pandemia e a atual situação política e econômica da Rússia têm afetado o Rostov - o país está num conflito político gigantesco com a Ucrânia e com a queda do preço do petróleo russo -, que tem visto seu nível técnico ser afetado por todo esse contexto. Não há saída fácil nem solução mágica para sair de situações como essa, a não ser torcer por dias melhores - pelo menos para os torcedores do Rostov.

Acompanhe mais o Bets e siga por dentro de tudo do futebol ao redor do mundo!
Compartilhe esse conteudo