Rodrigão marcou o gol decisivo aos 47 minutos do segundo tempo, na segunda virada dentro dos 90 minutos

Vitória épica do Sport fora de casa

No clássico mais pesado da sétima rodada da Copa do Nordeste 2022, o Sport conseguiu vencer o Bahia pela primeira vez nesta competição dentro da Arena Fonte Nova. Os 3 a 2 foram construídos com muita garra e determinação, uma vez que o Leão da Ilha está sem técnico oficial. César Lucena conseguiu uma vitória épica mesmo sendo o interino da vez.

Com o resultado, o Sport quase garantiu a classificação para a fase eliminatória, uma vez que o Sampaio Corrêa foi derrotado pelo CRB. Assim, na terceira colocação, com 11 pontos, empatado com o CSA, o Sport não tem mais como ser alcançado pelos outros clubes do grupo A, a menos que haja uma combinação improvável de resultados (como o Atlético de Alagoinhas vencer suas três partidas).

Já a derrota deixou o Bahia em maus lençóis na competição. Com 10 pontos, ainda está no quarto lugar, mas pode ser alcançado por todos os outros que estão abaixo no Grupo B, muito mais equilibrado do que A.

De modo que faltando apenas uma rodada, o Bahia talvez não dependa de si no último jogo, que é contra o Sergipe. A única esperança é o fato de o adversário amargar a lanterna do outro grupo, com um desempenho sofrível: 5 derrotas e 1 empate, o grande saco de pancadas da Copa do Nordeste 2022.

Como foi a partida

Num duelo equilibradíssimo, o Sport levou a melhor. Como mostram os números, quase todas as estatísticas empataram ou foram muito próximas. Enquanto a posse de bola teve vantagem do clube recifense (52% a 48%), o número de chutes a gol também foi parecido (16 a 13 para os baianos). Enquanto a precisão dos passes ficou em 86% para o Sport e 84% para o Bahia. Os desarmes também tiveram números afins: 16 a 13 para os baianos.

O primeiro tempo trouxe boas emoções. Logo no início, o Bahia aproveitou o mando de campo para entrar pressionando o adversário. Rodallega exigiu um bom trabalho do goleiro Mailson. No entanto, foi o Sport quem abriu o placar no fim da primeira etapa: Luciano fuzilou o gol de Matheus Teixeira.

Se a primeira etapa teve bola na trave, grandes defesas e um jogo repleto de oportunidades, a segunda aumentou o nível de adrenalina. Precisando vencer, o técnico Guto Ferreira sacou o volante Willian Maranhão, dando lugar para o meia Lucas Mugni. Ele entrou muito bem e passou a gerir a posse de bola dos baianos, dando um novo toque de classe para o meio campo do Esquadrão.

E foi dos pés de Lucas Mugni que o Tricolor de Aço conseguiu virar a partida. Primeiro com o atacante Raí Nascimento e depois com o colombiano Rodallega. Mas apenas três minutos depois, aos 15, Rodrigão deu uma bela assistência para Pedro Naressi empatar a partida novamente.

O gol do Sport foi um banho de água fria no Bahia, que arrefeceu o ímpeto. As trocas de passe já não tinham o mesmo resultado, o que agradava o Sport. No fim da partida, quando o time de Guto Ferreira pressionava o adversário, ocupando o campo de ataque e tentando o gol da vitória nos escanteios, o Sport conseguiu desempatar o jogo mais uma vez.

Luciano Juba fez um cruzamento maravilhoso, que encontrou Rodrigão. Ele testou fundo para o gol, decretando a vitória do Sport aos 47 minutos do segundo tempo.

As visões dos técnicos

No lado vencedor, o interino César Lucena manifestou alegria pela mudança de ânimo no vestiário do Sport, que estava sem vencer há sete jogos. O técnico paraguaio Gustavo Florentín havia sido demitido no meio de semana, após a eliminação na Copa do Brasil para o Altos de Teresina.

O técnico interino César Lucena estava exultante com a entrega dos jogadores na coletiva após a vitória

Disse Lucena: “É sempre bom vencer, quando você vence o ambiente é outro: você vê no semblante do atleta que ele começa a sorrir, o vestiário fica mais alegre, o clima pesado sai do vestiário. E vencendo um clássico nordestino, um dos maiores do Brasil, fora de casa, é lógico que a confiança vai voltando. Passamos um período ruim, mas os atletas acreditaram, se dedicaram e trabalharam firme para conseguir essa vitória hoje. Isso é fruto de muito trabalho e dedicação”.

No lado derrotado, Guto Ferreira não escondeu o desânimo, mas prometeu continuar trabalhando para encontrar um equilíbrio entre defesa e ataque. Ele confirmou que não vai jogar a toalha do comando do clube baiano:

Tenho clima, sim. Me sinto totalmente capacitado, tranquilo e buscando fazer o melhor. Agora a resposta de quem é a culpa cabe a vocês. Não a mim. É trabalhar muito e buscar nas próximas partidas reverter toda essa situação”.

Ferreira busca explicações para a derrota

Estatísticas

A vitória rubro-negra quebrou o tabu, como dissemos acima, da invencibilidade baiana neste confronto pela Copa do Nordeste. Se foi a primeira vez que o Tricolor de Aço perdeu nesta competição para o Sport, nos últimos onze jogos, a supremacia pernambucana é visível: 9 vitórias do Leão da Ilha e apenas duas do Bahia.

O próximo jogo do Bahia agora é no sábado, dia 12 de março, às 16h contra o Jacuipense, pelo Campeonato Baiano. Já o Sport pega o Salgueiro fora de casa, daqui a dois dias, pela sexta rodada do Campeonato Estadual Pernambucano.

Compartilhe esse conteudo