O Daegu Football Club é um time sul-coreano de futebol profissional que participa do campeonato de clubes do seu país K-League. Sua sede fica na cidade homônima, Daegu, no sudeste do país. O atual prefeito da cidade é o presidente de clube, e a cidade é uma das principais acionistas.

É uma equipe relativamente nova em comparação a times do Brasil, por exemplo. Foi criada no final de 2002 e já teve sua estreia na K-League no ano seguinte, em 2003.

Escudo do Clube. (Foto: Wikipédia)

O primeiro estádio do clube foi o Daegu Wold Cup Stadium, criado antes da fundação do clube, em junho de 2001. Sua construção foi em decorrência da Copa do Mundo de 2002, quando ocorreram alguns jogos na cidade.

O time utilizou o estádio entre 2003 e 2018 (e ocasionalmente no Daegu Civic Stadium). Tem 66.422 lugares com grama natural e estrutura para 3.500 carros no estacionamento.

Em 2019, no local onde era o Daegu Civic Stadium, foi construída a nova casa da equipe, o DGB Daegu Bank Park. O estádio não é multifuncional como o anterior, funcionando exclusivamente para o futebol, com capacidade para 12.415 pessoas.

Vista aérea do Daegu Stadium. (Foto: Wikipédia)

Em sua primeira temporada na K-League, teve o comando de Park Jong-hwan, técnico que já havia estado na seleção coreana entre as décadas de 80 e 90.

O time não apresentou um bom resultado em 2003, ficando na 11ª posição de 12 clubes. Anteriormente, só competiam na K-League 10 clubes, a entrada do Daegu e Gwangju Sangmu aumentou o número de participantes para 12. Neste ano, o clube chegou às quartas de final da FA Cup.

Em 2004, o desempenho da equipe melhorou, chegando em 10º lugar. No entanto, na FA Cup, foi eliminado nas oitavas de final pelo Ansan Hallelujah. No intervalo no meio da temporada da K-League, começou a ser realizada a Samsung Hauzen Cup, uma competição que reunia os melhores times do país. O Daegu, de 13 equipes participantes, terminou em oitavo lugar.

As temporadas seguintes, de 2005 e 2006, não apresentaram grandes mudanças no desempenho da equipe, que figurava no meio das tabelas das competições. No final de 2006, Park Jong-hwan deixou o clube e, pela primeira vez, o time teve que substituir o técnico que comandava a equipe.

O escolhido para ocupar o cargo foi Byun Byung-joo, um treinador que não tinha experiência no gerenciamento de equipes da K-League. A escolha não impulsionou o time, que em 2007 ficou em 12º lugar da competição, não saiu da fase de grupos da Copa Samsung e perdeu nas oitavas de final da FA Cup desse ano.

Para a temporada seguinte, o Daegu mudou sua estratégia e conseguiu a maior pontuação da liga, investindo no ataque da equipe. O resultado não foi o esperado, pois o clube também foi o que mais sofreu gols no campeonato, terminando em 11º lugar na tabela.

Cesinha, jogador brasileiro atuante no clube. (Foto: divulgação Daegu FC)

Apesar disso, chegaram à semifinal da FA Cup pela primeira vez em sua história, dando esperanças a seus torcedores. Perderam de 2 a 0 para o Pohang Steelers, que após jogarem contra Gyeongnam FC, venceram a copa.

As esperanças da torcida foram frustradas, pois em 2009 o clube chegou em último lugar da liga, que havia sido ampliada para 15 competidores neste ano.

Ao final do ano, o técnico Byun Byung-joo renunciou ao cargo, pois se envolveu em polêmica por receber recompensas para a seleção de jogadores específicos. Para a temporada de 2010, o nomeado foi Lee Young-jin.

Sua campanha não melhorou, terminando novamente em último lugar. Na FA Cup, não saiu da fase de grupos. Em 2011, o clube terminou em 12ª posição na K-League, e o treinador Young-jin renunciou ao seu cargo.

Para substituir o técnico, o time contratou seu primeiro estrangeiro, o brasileiro Moacir Pereira que ficou no clube apenas no ano de 2012. Curiosamente, o Daegue, até os dias atuais, só teve técnicos coreanos ou brasileiros. Em 2012, chegou a 10ª posição na K-League.

Em 2013, o clube era comandado pelo técnico Dang Sung-jeung, mas ele foi substituído em abril por Baek Jong-chul. O time chegou em 14º ao final da K-League e foi rebaixado para a segunda divisão, o K-League Challenge, ou a K-League 2.

O Daegu passou as próximas três temporadas na segunda divisão, mas em 2016, após conquistar o vice-campeonato da K-League 2, foi promovido diretamente.

A partir daí, a equipe viu o seu desempenho melhorar exponencialmente. E em 2018, sob o comando do técnico brasileiro André, o primeiro grande título da equipe foi conquistado. Após uma temporada suada, o Daegu ganhou a FA Cup contra o Ulsan Hyundai, de 5 a 1 no agregado.

Com essa grande conquista, classificou-se para a Liga dos Campeões da AFC de 2019. No entanto, não conseguiu passar para a fase eliminatória.

Em janeiro de 2020, André se desentendeu com o diretor executivo, Cho Kwang-rae, e deixou o time. Lee Byung-keun, o assistente técnico, assumiu como treinador interino pelo resto da temporada.

Elenco do clube durante vitória contra o Buriram United em 2022. (Foto: AFC Football)

Atualmente, o clube conta com três brasileiros no elenco: Cesinha, Zeca e Bruno Lamas. Além dos brasileiros, só há um estrangeiro no clube, o japonês Keita Suzuki.

Quem comanda o time ainda é o Lee Byung-keun, que vem fazendo um bom trabalho na equipe. Apesar disso, o Daegu se encontra no meio da tabela da K-League, na 8ª posição.

Ainda em disputa na FA Cup, e na metade da temporada da K-League, podemos esperar tudo do Daegu em 2022.

Não perca um lance. Acompanhe tudo sobre esse e outros times coreanos aqui no Bets!

Compartilhe esse conteudo