Os fãs do futebol norte-americanos conhecem um tipo diferente de brasileirão. A Grande Liga de Futebol é a campeã de entretenimento nos solos estadunidenses e canadenses. Foi fundada em 1993, com o intuito de servir como mãe dos times e clubes da época, e daqueles que estariam por vir – fossem eles profissionais ou amadores.

A MSL (Major Soccer League) compreende inúmeros times do Canadá e Estados Unidos, a grande maioria estruturada no mesmo esquema da modalidade de Futebol Americano. Ela investe em grupos universitários, e a liga funciona em sistema anual, promovendo jogos entre as duas divisões (conferences) Leste e Oeste, onde o time com mais pontos no fim da temporada é premiado com o Supporter’s Shield, além do campeonato dos melhores das divisões, MSL Cup.

Com a “mudança” do San José Earthquakes para Houston em 2005 (para aqueles que não conhecem o time, temos uma matéria sobre o mesmo aqui no Bets), a MSL entrou em acordo com alguns investidores. O time de San José ficou pendurado por um tempo devido a problemas na negociação de um estádio sediador, por isso a mudança para Houston.

O nome, a logo e as cores do Earthquakes ficaram retidas, numa esperança de que o clube retornasse (e retornam em 2008), mas a equipe e jogadores da época foram relocados para Houston e assim ganharam uma nova cara – e um novo nome. O clube californiano entra em hiato, e outro texano surge.

Craig Waibel, camisa 16 do Houston Dínamo contra Mario Camacho, camisa 23 do Puntaneras FC na primeira metade do segundo jogo do primeiro round da CONCACAF Champions’ Cup, no Aggie Soccer Complex, do College Station, em 1 de março de 2007. (Foto por Thomas Shea/MLS)

Inicialmente chamados de Houston 1836, e então de Houston Dínamo, o time tinha sede no estádio da Universidade de Houston, Robertson Stadium. Foi acordado que a equipe treinaria e jogaria no espaço em um contrato de três anos, que renderia à universidade uma determinada porcentagem dos ganhos do Dínamo.

A estreia do time na MSL ocorreu no dia 2 de abril de 2006, onde jogaram no Robertson Stadium contra o Colorado Rapids, vencendo a partida por 5x2. Foi um excelente debute para o novato texano, que espelhou sua performance durante toda a temporada do ano.

O Dínamo triunfou sobre diversos clubes já consistentes da liga, como o LA Galaxy, FC Dallas e D.C. United, entre outros. Terminou a temporada em segundo lugar na divisão Oeste, classificando-se posteriormente para a MLS Cup. Numa final apertada contra o New England Revolution, o Dínamo vence de 4x3, no que seria a primeira final disputada nos pênaltis na história da MSL. A vitória do MSL Cup garantiu ao time sua classificação para a CONCACAF Champions’ Cup de 2007 – competição anual que compreende times da América do Norte, Central e Caribe.

O Houston Dínamo começa o ano de 2007 participando da CONCACAF e chegando até as semifinais, quando foi eliminado pelo mexicano Pachuca, numa virada de 5x2. No MLS, a sorte foi diferente. O time começa a temporada com boas partidas, até certo ponto, quando a sorte vira e começa perdendo para o New York Red Bulls, Toronto FC, Chicago Fire e New England Revolution.

Apesar do susto, o Dínamo de Houston retoma forças, após alguns ajustes e trocas na equipe. A partir daí, espelham a mesma performance do ano anterior, com inúmeras partidas vencidas na sequência, das semifinais, para as finais, chegando novamente em segundo lugar na divisão Oeste, e classificando-se para a MSL Cup. Batendo recordes, o Hoston Dínamo vence a copa pelo segundo ano seguido, numa final contra – mais uma vez – o New England Revolution, com placar de 2x1.

O ano de 2008 começou animado para o Dínamo, que participou da inauguração da Pan-Pacific Championship, um campeonato que englobou diversos times da América do Norte, Ásia e Oceania. O Dínamo chega até as finais, após uma vitória sobre o Sydney FC, mas perde de 6x1 para o time japonês Gamba Osaka.

De volta a MSL, a temporada segue muito bem para o Houston, que garantiu primeiro lugar na divisão Oeste e segundo lugar no quadro geral. O time passa para as semifinais, mas perde para o New York Red Bulls, numa última partida no Robertson Stadium, com placar final de 3x0 para os nova-iorquinos. Foi a primeira temporada sem vitória do Houston Dínamo, desde a sua estreia no MSL.

Em 2009, o time começa com uma passagem ligeira pela CONCACAF. Garantem um bom início de temporada no MSL, mas desestabilizam no meio do ano, após uma derrota para o LA Galaxy. Depois de uma temporada invicta em primeira posição na divisão Oeste, o Dínamo perde lugar para o Galaxy, numa partida instável devido a inúmeros apagões que estavam ocorrendo naquele dia, em Los Angeles.

Ele termina a temporada em segundo lugar na sua divisão. Nesse mesmo ano, chega até as semifinais da U.S. Open Cup, perdendo de 1x2 para o Seattle Sounders.

AUSTIN, TX – 24 DE OUTUBRO: Daniel Pereira, meio-de-campo e camisa 15 do Austin FC, persegue Darwin Quintero, jogador do Houston Dínamo, durante jogo da MLS entre Houston Dínamo e Austin FC, no dia 24 de outubro de 2021, no Q2 Stadium, em Ausin, no Texas. (Foto por John Rivera/Icon Sportswire via Getty Images)

O ano de 2010 foi de altos e baixos para o Dínamo de Houston na MLS. Terminaram a temporada em sétimo lugar a divisão Oeste, e em décimo segundo no quadro geral. Também participaram da U.S. Open Cup e a SuperLiga norte-americana no mesmo ano, mas nunca chegaram às semifinais.

Em 2011, o time é transferido para a divisão Leste da MSL, ficando em segundo lugar na mesma no fim da temporada, que rendeu boa performance para o Dínamo. Ainda, seu meio-campo Brad Davis é nomeado para MVP no mesmo ano, perdendo apenas por se ausentar na final, devido a uma lesão no quadríceps.

A temporada de 2012 da MLS para o Dínamo foi de grandes vitórias. O time, após anos em espera, finalmente recebe um estádio para chamar de seu, o BBVA Stadium. Na sequência, depois de meses invicto em casa e na primeira posição na divisão Leste, o Houston Dynamo avança para a MLS Cup, mas perde numa final contra o LA Galaxy.

Em 2013, o time consegue chegar nas finais da divisão Leste, mas perde logo de cara para o Sporting Kansas City. Em 2014, o Dínamo termina a temporada em oitavo lugar na sua divisão. Já em 2015, juntamente com o Sporting, retorna para a divisão Oeste, e termina a temporada novamente em oitavo lugar. Na sequência da queda, o time termina em décimo e último lugar na temporada de 2016, em sua divisão.

Já em 2017, o Houston recobra o fôlego, conseguindo chegar nas finais da divisão Oeste, mas perdendo para o Seattle Sounders FC e terminando em quarto lugar na divisão. Em 2018, o time vence a U.S Open Cup, num placar final de 3x0 contra o Philadelphia Union.

Com isso, se classifica para a CONCACAF, mas não chega às finais. Na temporada de 2019, começa na CONCACAF, perdendo nas quartas. No mesmo ano, não consegue chegar às finais da MLS pela segunda temporada consecutiva. Nos dois anos seguintes, o time termina as temporadas em último lugar da divisão, resultado de algumas falhas e organização técnica, como a ausência do time na final de 2020. No ano de 2021, eles mudam de estádio, saindo do BBVA para o PNC Stadium.

Se você ama futebol e quer ficar por dentro de tudo que acontece no esporte, basta ficar ligado no Bets. Aqui, você encontra as notícias dos maiores clubes do Brasil e do mundo.
Compartilhe esse conteudo