Verdão marcou nos minutos finais com gol de pênalti checado pela arbitragem de vídeo

Na noite desta quarta-feira (23), o Palmeiras viajou até a Arena da Baixada para enfrentar o Athletico-PR pelo primeiro jogo da Recopa Sul-Americana e assegurou um empate por 2 a 2. David Terans e Marlons balançaram as redes para o time da casa, Jailson e Raphael Veiga empataram para o visitante.

O jogo

O Palmeiras começou com a marcação alta, fechava sua defesa e impedia o avanço dos donos da casa para a área. Aos três minutos de jogo, Atuesta foi acionado no lado direito por Raphael Veiga, driblou o marcador e bateu, mas o goleiro Santos defendeu.

Aos 17 minutos, um lance complicado e revisado algumas vezes pelo árbitro de vídeo acontece. O Atlético Paranaense cobrou escanteio pelo lado esquerdo com Abner, o jogador alçou a bola na área para Terans empurrar no fundo da rede.

Imagem
Palmeiras e Athletico Paranaense nunca haviam se enfrentado em torneios organizados pela Conmebol. Foto: José Tramontin / athletico.com.br‌ ‌

O bandeirinha apontou impedimento, dizendo que Léo Cittadini, que estava em posição ilegal, havia desviado a bola. Entretanto, após checagem do VAR, foi confirmado que o jogador não interferiu no lance. Aos 22 minutos foi aprovado o gol dos donos da casa. Athletico 1 a 0 Palmeiras.

O Palmeiras não ia deixar o adversário comemorar o placar positivo por muito tempo. Exatamente quatro minutos depois da confirmação do gol do Furacão, foi a vez do alviverde balançar as redes da Arena da Baixada.

Após escanteio do Palestra cobrado por Atuesta e afastado por Thiago Heleno, Dudu rebateu para a entrada da área a bola que sobrou. Ela desviou em Abner que tentou defender, mas sobrou novamente, dessa vez nos pés de Jailson que não pensou duas vezes e mandou de bico para o fundo da rede do gol de Santos. Placar igualado.

O gol de empate embalou a torcida rubro-negra que ansiava pela virada ainda na primeira etapa da partida. O Furacão se aproximou da área alviverde, mas em todas as chances criadas foi bloqueado pela defesa bem postada da equipe visitante.

Rony assustou a torcida rubro-negra no fim do primeiro tempo ao acertar um chute na trave do goleiro Santos.

Imagem
Jailson comemora primeiro gol do Palmeiras na partida. Foto: Twitter / @palmeiras

A segunda etapa começou com mudanças pelo lado do Palmeiras. O técnico Abel Ferreira optou por tirar Atuesta para a entrada de Wesley no lugar. Na sequência da alteração, o time cresceu na partida e tomou conta, pressionando seu adversário na defesa.

Os torcedores atleticanos que enchiam o estádio, assistiam às descidas ofensivas do Verdão. Aos 14 minutos, Dudu dominou a bola na lateral direita e cruzou rasteiro para Rony, que antecipou a marcação. O camisa 10 até tentou, mas não conseguiu finalizar.

Minutos mais tarde, mais uma vez Dudu acionou Rony no canto direito da grande área, mas foi bloqueado por Abner, que o desarmou na lateral.

Preocupado com as jogadas ofensivas do Verdão, o técnico Alberto Valentim mexeu no time, tirando Terans para a entrada de Marlos.

Deixando o estádio boquiaberto, aos 22 minutos o goleiro Weverton realiza uma defesa milagrosa depois de bomba chutada de primeira por Erick. O arqueiro espalmou no centro do gol.

Grupo de pessoas em campo de futebol

Descrição gerada automaticamente
Defesa de Weverton para chute de Erick durante jogo da Recopa Sul-Americana. Foto: Cesar Greco / Palmeiras‌ ‌

Os minutos seguintes, que marcaram a metade do segundo tempo, foram de uma sequência de alterações táticas. O português, Abel Ferreira, tirou os jogadores Jailson (autor do gol) e Dudu, para as entradas de Zé Rafael (pós lesão) e Gabriel Verón, respectivamente. No lado do Furacão, Hugo Moura saiu para a entrada de Christian.

Aos 30 minutos de jogo, Athletico-PR cobrou escanteio no canto esquerdo e viu Raphael Veiga perder a bola na entrada na área. Christian dominou na direita, tocou para Marlos que ajeitou para o meio e mandou no ângulo do gol de Weverton. Sem chances de o goleiro defender. O Furacão estava à frente novamente.

O Palmeiras se incomodou com a virada rubro-negra e foi atrás do seu segundo gol na partida. No lance seguinte, criou grande jogada com Veiga depois de falha da marcação adversária. Rony alçou a bola na área e viu Thiago Heleno afastar parcialmente. Raphael Veiga aproveitou a sobra e cabeceou rumo ao gol, mas o goleiro Santos defendeu.

O time visitante apenas cresceu com o gol da virada, mas isso não foi suficiente. Abel Ferreira, então, saca sua última carta da manga e coloca Rafael Navarro no lugar de Rony quando o Verdão possuía 52% de posse de bola, contra 48% do Athletico.

Pouco tempo depois, mais um susto para o Furacão. Gabriel Verón recebeu passe de Wesley pela direita, invadiu a área adversária e bateu cruzado, mas assistiu à bola ir para fora. O tempo passava, mas o Palestra queria jogo. Para impedir isso, Alberto Valentim queimou a última parada para tirar Erick e Abner, e colocar Zé Ivaldo e Nico Hernandez.

Durante os primeiros dois minutos extras cedidos pela arbitragem, o Athletico ficou próximo de ampliar o placar com Léo Cittadini. O jogador finalizou rasteiro aos 47 minutos, à direita do gol, mas a bola passou raspando. No lance seguinte, arriscou um chute da entrada da área, mas Weverton saiu do gol para fechar o ângulo e efetuou a defesa.

Marcinho, do Athletico-PR, tenta a jogada em cima de Danilo, do Palmeiras, durante jogo da Recopa Sul-Americana - DU CANEPPELE/O FOTOGRÁFICO/ESTADÃO CONTEÚDO
Marcinho durante dividida com Danilo em jogo da Recopa 2022. Foto: DU CANEPPELE

Foi quando já nos acréscimos, aos 48 minutos, Wesley tabelou com Veiga, invadiu com a área pela esquerda sendo derrubado por Marcinho. Pênalti para o Verdão.

Faltando menos de dois minutos para acabar o jogo, Raphael Veiga bate e converte para o Palmeiras com chute no lado esquerdo do gol de Santos. A partida terminou com placar igualado em 2 a 2.

Compartilhe esse conteudo