O judô brasileiro mostrou sua força no Pan Americano de Lima, no Peru.

Os atletas brasileiros terminaram a competição com 15 medalhas: sete de ouro, cinco de prata e três de bronze. No sábado, dia 16, a medalhista olímpica Mayra Aguiar conseguiu seu heptacampeonato no Pan.

Com o desempenho dos nossos atletas, o Brasil mostra que é a principal potência no esporte nas Américas e Oceania, que começou a fazer parte das disputas deste ano.

Brasileiros ganham 15 medalhas no Pan de Judô - Imagem: CBJ

Os destaques brasileiros

Na categoria até 57 quilos feminino Jéssica Lima ganhou o ouro e Rafaela Silva o bronze. Foi o melhor resultado de brasileiras na categoria desde 2013. Até 66 quilos, Luana Carvalho terminou a competição com a prata e Maria Portela com o bronze.

A promessa Amanda Lima não decepcionou e também trouxe o ouro para casa. A atleta de 22 anos passou por atletas mais experientes, confirmando sua superioridade na categoria até 48 quilos.

Os outros dois ouros ficaram com Larissa Pimenta, na categoria até 52 quilos, e Beatriz Souza (+78kg). As duas atletas já eram consideradas favoritas e conquistaram neste Pan o tricampeonato continental.

Quatro pratas vieram com Vinícius Panini (até 81 kg), Marcelo Gomes (até 90kg), Rafael Buzacarini (até 100kg) e Rafael Silva (acima de 100kg). William Lima ficou com o bronze (até 57kg).

O hepta de Mayra Aguiar

Quem realmente fez história no Pan foi Mayra Aguiar, que já tinha levado o terceiro bronze olímpico no Japão. A gaúcha de 30 anos conquistou seu sétimo título pan-americano e se tornou a brasileira mais vitoriosa na competição.

Mayra Aguiar leva o heptacampeonato no Pan de judô - Imagem: Instagram Mayra Aguiar

Essa foi a segunda competição da atleta após as Olimpíadas de Tóquio. No Pan, venceu todas as lutas da competição por ippon, uma marca pessoal que também pesa positivamente.

Conhecida pela dedicação ao esporte, Mayra comemorou bastante a vitória, mas estava tão concentrada que nem se lembrava que era seu heptacampeonato. “Eu não sabia que eram sete, não estava contando. Fico muito feliz, é um número bastante relevante”, comentou a após a luta.

Sobre os desafios da modalidade, a judoca enfatiza os anos de dedicação. “Estamos aí nessa caminhada faz anos, desde os 14 anos com a seleção brasileira, disputando títulos, competições. Então, estou muito feliz por mais esse ouro. Me motiva bastante”, ressaltou.

Sobre as futuras competições, Mayra diz estar preparada. Até o final do ano, serão quatro ou cinco torneios internacionais.

Mayra Aguiar da Silva foi medalha de bronze em três olimpíadas consecutivas, 2012, 2016 e 2020, sendo a única atleta brasileira a ganhar a subir ao pódio olímpico três vezes em um esporte individual. Também é bicampeã mundial ( 2014 e 2017) e campeã pan-americana na edição de 2019.

Compartilhe esse conteudo