O Chinezul Timişoara foi um clube de futebol romeno que se estabeleceu no período entre guerras, estando entre os times mais antigos, mas também os mais bem-sucedidos da história deste esporte.

O escudo do clube tem no centro a mão que carrega uma pedra de moinho, também conhecida por mó, e remete a uma das lendas relacionadas a esta figura histórica. Desde o início, jogou atrás da Estação Norte, onde em 12 de outubro de 1913 foi inaugurada a arena esportiva do clube, construída sob a supervisão do engenheiro Arnold Iacobi e operada por ferroviários.

Chinezul Timișoara_Escudo_OK.png
Escudo do Chinezul Timişoara. Foto: Escudos Futebol Botão.

Desde os primeiros anos, o Chinezul visava à transferência de jogadores valiosos de equipes de Budapeste, como Wurfer, Bauer, Iszer, Szednicsek (ex-internacional húngaro), Szidon e Schaller (futuros internacionais húngaros) e, assim, a equipe venceu o campeonato do sul da Hungria em 1914, ano em que foi declarado, juntamente com o TSC de Tatabánya, o melhor time provincial da Hungria.

Destes, nada menos que sete (Kondor, Fenyvessy, Tóth-Bedő, Rajnak, Steiner B., Frech I, Matek) fizeram parte da equipe que conquistou, em 1922, o primeiro título nacional, cinco (Szilágyi I, Tóth-Bedő, Koch, Frech I, Matek) foram selecionados na seleção romena, e dois (Szidon, Schaller) na seleção húngara.

Com esse fantástico lote, os ferroviários ficaram em 4º lugar na Taça de Guerra, que, em 1916, enfrentou as formações mais poderosas da Hungria, e venceu o Campeonato de Guerra do Sul da Hungria em 1918.

Este último ano também trouxe um recorde de público, 10.000 espectadores - um número impressionante para a época - assistindo em Timişoara a partida perdida pela seleção do sul da Hungria diante de uma seleção húngara por 6 a 1.

O Chinezul continuou a ser o melhor, vencendo o campeonato da Transilvânia em 1921 e obtendo, depois, entre 1922 e 1927, seis títulos seguidos (o primeiro do campeonato verdadeiramente nacional), um recorde que viria a perdurar por 71 anos, sendo igualado apenas pelo Steaua Bucuresti.

steaua_bucuresti_1989.jpg
O time do Steaua Bucuresti, em 1989. Foto: footballhistory.

Deve-se notar que, em 1921, a cidade de Bega tinha nada menos que 5 equipes na categoria I competição do Banat (Chinezul, Timişoara Athletic Club, Unirea, Timisoara's Ginástica Operária Meeting, abreviado RGMT, e Sparta CFR).

SEGUNDO TÍTULO DO CHINEZUL (1922-1923)

Nesta edição, o Chinezul manteve a supremacia no futebol romeno também nesta edição.

Na ponta direita, no lugar do "velho" Bruno Steiner, passou o valente Mihai Tänzer, que ficou conhecido em toda a Europa.

Mihai Tänzer.jpg
Mihai Tänzer, um “monstro” do futebol romeno na década de 1920. Foto: peoplepill.

A final do campeonato nacional, edição 1922-1923, foi, na verdade, uma reedição do clássico do ano anterior.

TERCEIRO SUCESSO DO CHINEZUL (1923-1924)

Na edição de 1923-1924 do campeonato nacional, o Chinezul conseguiu defender seu título de campeão.

Após a digressão, o 1º lugar foi ocupado pelo Unirea, que, nas quartas de final do campeonato nacional, disputou a partida com o S.G.

Assim, o Chinezul foi campeão distrital com um ponto de vantagem, devido a algumas decisões no “tapetão”.

A equipe treinada por Frontz Döme (entre os quais surgiram dois novos nomes: Adalbert Steiner II e Bundi) jogou muito bem durante todo o ano da competição.

Todos os adversários tiveram que se curvar diante dos campeões que, entre outras coisas, alcançaram os seguintes resultados: o Chinezul jogou com relativa tranquilidade entre o campeonato distrital e a final do campeonato nacional.

As equipes que conseguiram arrebatar pontos aos campeões foram: R.G.M.T., após um empate em 1 a 1 em 14 de novembro de 1926. A Politehnica, a revelação do campeonato, ficou em segundo lugar (com um ponto a menos que o líder), conseguindo, em 27 de fevereiro de 1927, um sofrido empate em 2 a 2 no confronto com o Chinezul.

Os espectadores previam uma vitória confortável para a equipe do Timişoara, que, nas cinco finais anteriores, obteve um resultado de 4 a 1, duas de 5 a 1 e duas de 3 a 0.

Internacionalmente, entre os resultados mais expressivos obtidos pelo Chinezul naqueles anos estão: uma sonora goleada de 8 a 0 sobre o Zidenice, no ano de 1925; 4 a 2 contra o BSK Belgrado; 3 a 0 em cima do Athletic Bilbao, em 1926; e um ruidoso 7 a 1 contra o Oxford City. Além desses resultados, um 4 a 0 sobre o Ujpest Budapeste, em 1927.

Na terceira década, a seleção nacional da Romênia - em geral - era muitas vezes confundida com o time do Chinezul. Ambos tinham o mesmo poderio dentro de campo.

A partir do outono de 1927, o clube entrou em uma grave crise financeira, que acabou culminando, mais tarde, em uma crise administrativa. Eram s primeiros sinais de decadência do Chinezul.

As dívidas do Chinezul somavam enormes quantias: 56.000 lei (a moeda romena) ao Banco de Sânnicolaul Mare, ou 20.000 lei ao Banco Central da Suábia, e assim por diante, atingindo um total de cerca de 250.000 lei, uma verdadeira fortuna naquela época.

A fim de levantar dinheiro para tentar pagar as dívidas, o Chinezul mercou um jogo amistoso contra a forte equipe do Sibiu. O Chinezul estava ganhando por 2 a 1 no primeiro tempo, mas no segundo tempo os anfitriões empataram: 2 a 2. Depois, o jogo ficou dramático e o Chinezul acabou perdendo a partida por 4 a 3. Diante disso, o Chinezul se deu conta de que marcar amistosos não resolveria seus problemas financeiros.

Sibiu_1990-1991.jpg
Formação do time do Sibiu no início dos anos 90. Foto: wikiwand

.Devido às condições adversas, o potencial competitivo da equipe diminuiu significativamente, especialmente porque vários jogadores valiosos como Rudolf Wetzer, Mihai Tänzer, Gusti Semler ou Paul Teleky debandaram para outros clubes profissionais no exterior.

No entanto, o Chinezul continuou sendo uma das formações mais formidáveis do país, conseguindo promover os talentosos Ladislau Raffinsky, Ion Zelenak, Rudolf Demetrovici, Lucian Gruin, Andrei Szilard, Rudolf Bürger e, por último, mas não menos importante, Iosif Petschovsky. No entanto, o Chinezul não atingiu seu ápice no período compreendido entre os anos de 1921 e 1927.

A última aparição oficial foi na Divisão B na temporada 1948-1949 (13º lugar entre 14 competidores). Depois desse campeonato o time foi extinto.

Caro leitor, gostou do post? Deixe seus comentários abaixo!

Compartilhe esse conteudo