Verdão teve ótima atuação contra o time europeu, mas caiu nos minutos finais.

O esforço foi muito, mas apesar do ótimo jogo, o Palmeiras não aguentou a pressão inglesa e perdeu a chance de ser campeão do mundial 2021. O Chelsea bateu o time brasileiro por 2 a 1 neste sábado (12), com gols de Romelu Lukaku no segundo tempo, e de Kai Havertz durante a prorrogação.

O jogo

A partida começou animada e bem trabalhada por ambos os lados. Não se observava o time de azul ou o time de verde se fechando no campo de defesa. Aos 4 minutos de jogo aconteceu a primeira tentativa de finalização. Danilo do Palmeiras foi bloqueado após chutar de fora da área com o pé esquerdo.

No minuto seguinte, Rony perdeu uma boa oportunidade depois de receber uma assistência de Gustavo Scarpa. Cabeceou de um ângulo difícil, mas não conseguiu balançar as redes. Aos 10 minutos, mais um desperdício de Rony, dessa vez uma oportunidade do lado direito da área inglesa.

Jogador de futebol correndo no campo

Descrição gerada automaticamente
Raphael Veiga em disputa de bola durante os últimos minutos de jogo. Foto: Twitter / Chelsea

O Chelsea também teve suas oportunidades. Aos 11 minutos, Callum Hudson-Odoi teve uma finalização bloqueada após chutar do meio da área.

A torcida palmeirense gritou o seu primeiro “QUASE” aos 17 minutos, quando Rony teve uma nova chance, mas sua finalização foi defendida no ângulo superior direito. Palmeirenses na arquibancada eram maioria e faziam a festa com as cantorias, decoração e instrumentos.

Image
Goleiro Weverton em agradecimento antes do início do jogo. Foto: Twitter @palmeiras

O Palmeiras marcava bem o Chelsea que cedia erros no meio-campo. Em uma dessas falhas, Dudu perdeu uma grande chance para o Palmeiras na metade da primeira etapa. O ponta se desequilibrou durante finalização de frente para o goleiro, e perdeu o gol.

Ainda no primeiro tempo o técnico Thomas Tuchel decidiu mexer no time, tirando de campo Mason Mount para colocar no lugar o jogador Christian Pulisic.

Romelu Lukaku teve a oportunidade de abrir o placar para o Chelsea aos 35 minutos quando sua finalização em direção ao centro do gol foi defendida. No minuto seguinte, Christian Pulisic, que havia saído do banco, sofreu falta no campo adversário. Durante a cobrança, viu a bola ser desviada do objetivo. Seguia 0 a 0 no placar e o time foi para o intervalo.

Image
Romelu Lukaku após abrir o placar para o Chelsea na final do mundial de clubes 2021. Foto: reprodução/ GE‌ ‌

Ao contrário do primeiro, o segundo tempo não foi marcado apenas por finalizações, mas também por gols, e para os dois lados! Tudo começou com a pressão inglesa que buscava abrir o placar antes dos dez minutos. Romelu Lukaku sabia do recado, e justamente aos 10 do segundo tempo, recebeu cruzamento no canto esquerdo e cabeceou rumo ao gol.

O Chelsea seguiu pressionando após abrir o placar, teve a chance de ampliar com Christian Pulisic aos 12 minutos, mas mais uma vez foi perdida. Diante do placar desfavorável, o técnico Abel Ferreira resolveu fazer alteração no Palmeiras, e tirou Zé Rafael para colocar Jailson no lugar.

Um minuto depois da alteração, o Palmeiras desceu para a área inglesa e viu Thiago Silva tocar a mão na bola para defender uma bola alçada. O VAR chamou o juiz na cabine que, sem dúvidas, marcou pênalti para o Verdão.

Raphael Veiga pegou a bola e chutou no canto direito do goleiro Édouard Mendy, sem chances de defesa. Tudo igual no placar, 1 a 1.

Após o gol, o Chelsea diminuiu seu ritmo e se concentrou no campo de defesa, assistindo às tentativas do Palmeiras para ampliar o placar. Rony e Veiga tentaram para o Verdão, e Havertz, Pulisic e Kovacic tentaram para os Lions, mas nada mudou e a decisão foi para a prorrogação.

Prorrogação

A primeira etapa foi mais do futebol apresentado no tempo normal, com exceção do cansaço dos atletas. Chelsea mudou a tática e buscava cavar faltas para conseguir se aproximar da área alviverde com a bola parada. As jogadas individuais também eram alvo do time inglês.

O Palmeiras apenas se defendia, assistiu à bomba de fora de área que teve como origem o pé esquerdo de Malang Sarr, camisa 31, mas a bola foi para fora, rumo à arquibancada. O técnico Abel Ferreira mudou o time ainda no primeiro tempo da prorrogação, tirando Dudu para a entrada do atacante Rafael Navarro, aos 103 minutos.

O primeiro cartão amarelo do jogo saiu  para o camisa 11 do Palmeiras, Wesley. Foi marcada uma falta do atacante depois de entrada perigosa. Minutos mais tarde, o Palmeiras tentou com Danilo, um passe em profundidade. Rafael Navarro recebeu em posição irregular, sendo marcado o impedimento.

Image
Jogadores do Palmeiras aplaudem a torcida após o fim do jogo. Foto: Twitter @palmeiras‌ ‌

Já na segunda etapa da prorrogação os ânimos já estavam todos exaltados. Kai Havertz teve falta de ataque cometida após cair esbarrar e cair em cima do goleiro Weverton. O arqueiro alviverde não gostou da forma como o meio-campista alemão chegou, e reclamou após a queda dos dois.

É pênalti! Aos 114 minutos, de costas, Luan toca a mão na bola involuntariamente, o VAR chama e o juiz vai até à cabine para checar. Sem dúvidas sobre o ocorrido, o comandante da partida marca pênalti para o Chelsea.

Kai Havertz pegou a bola e foi para a marca do pênalti. Do outro lado tinha Weverton, goleiro conhecido por ser um bom pegador. Entretanto, sua reputação não fez jus dessa vez, e quem levou a melhor foi o meio-campista que chutou certeiro com o pé esquerdo no canto inferior esquerdo, para desempatar o jogo para os Lions.

Mesmo com as tentativas do Verdão de levar a decisão aos pênaltis, nada foi alterado. O juiz apitou o fim de jogo com o placar em 2 a 1 para o Chelsea, que pode gritar “é campeão” pela primeira vez no Mundial de Clubes.

Compartilhe esse conteudo