Jogando em casa o time de Julen Lopetegui não aproveitou o adversário que luta contra o rebaixamento, desperdiçando pontos na busca da segunda colocação

Com alguns desfalques, o Sevilla não fez valer a sua força  no estádio Ramon Sanchez-Pichuan, com mais de 27 mil espectadores, contra o Cádiz e ficou no empate por 1 a 1. Assim, jogou fora 2 pontos na disputa pelo segundo lugar.

(Créditos da imagem: https://twitter.com/LaLigaLowdown/status/1520126267156316161

Com o resultado, o Sevilla assume provisoriamente a vice-liderança do campeonato espanhol na abertura da trigésima quarta rodada, iniciada sexta (29/4). Está com 64 pontos, 1 a mais do que o Barcelona e 3 a mais do que o Atlético de Madrid. Vale lembrar que o segundo colocado vai à supercopa da Espanha.

Já o Cádiz, que trouxe mais de mil torcedores para o estádio, segue em décimo sétimo, com 32 pontos, 2 acima da zona de rebaixamento, aberta pelo Granada que tem 30 e um jogo a menos (enfrenta o Celta de Vigo). Assim, o Cádiz fez valer a sua máxima de bom visitante: 17 pontos foram conquistados fora de casa.

Navas recebeu homenagens do adversário, o Cádiz; a seu lado, Juan Cala e Álvaro Negredo, que também fez história pelo Sevilla. (Créditos da imagem: https://twitter.com/LaLigaLowdown/status/1520115255271120896

Antes da partida, o goleiro Bono recebeu uma placa por completar 100 jogos pelo Sevilla. Jesus Navas também foi louvado.

O capitão e camisa 16 sevilhano superou em muito os outros jogadores que mais entraram em campo pelo Sevilla (Pablo Blanco e Juan Arza, no top 3, têm pouco mais de 400 partidas, seguidos por Manolo Jiménez e Campanal II).

Como foi o jogo

Parecia uma noite fácil para o Sevilla. Logo aos 6 minutos, Youssef En-Nesyri fez seu quarto gol em La Liga, e o primeiro do jogo. Após escanteio, ele subiu mais do que o zagueiro Hernandez para mandar no fundo da rede.

A partir da metade da etapa inicial, o Cádiz passou a ir mais para frente, mesmo jogando fora de casa. José Mari teve a chance bloqueada por um corte providencial de Koundé e depois Lucas obrigou o goleiro Bono a fazer um milagre.

Esta foi uma das maiores defesas da temporada: a pouco mais de 5 metros de distância, numa finalização fortíssima, Bono conseguiu, no reflexo, estender a mão direita para buscar uma bola que iria morrer no ângulo.

Ainda antes do fim, o Sevilla assustou de longe, com Papu Gómez, que soltou a perna esquerda da intermediária. Ledesma fez uma defesaça de mão trocada.

Na segunda etapa, o Cádiz voltou mais ligado. Fernandez dava o tom no meio campo, ocupando brechas na intermediária ofensiva. Aos 5 minutos, ele encontrou a cabeça de Lucas, que na pequena área cabeceou para fora.

Aos 10 minutos, Raktic e Lamela deram lugar a Tecatito e Delaney. Mais força física e vigor, já que o Cadiz tinha mais posse de bola e levava mais perigo. Julen Lopetegui tentou confundir a defesa do Cadiz, colocando Tecatito na esquerda e Ocampos na direita.

Aos 20 minutos, Lucas Peres empatou numa cobrança de falta magnífica. Ele meteu a bola na gaveta, sem chances para Bono: a pelota bateu na forquilha e beijou o solo.

Até o meio do segundo tempo, o Sevilla só tinha dado um chute e sequer acertou o gol. Após mudanças, o time da casa pressionou mais, sem conseguir marcar o segundo.

Compartilhe esse conteudo