Vitória pelo placar magro foi o suficiente para tirar o Burnley da antepenúltima colocação, agora ocupada pelo Everton

O Burnley assegurou os 3 pontos sobre o Wolverhampton, fazendo valer o mando de campo, na manhã deste domingo (24/4). Agora, o Burnley deu um respiro e tirou a cabeça da zona do rebaixamento, deixando o Everton, que perdeu para o Liverpool, em décimo oitavo lugar, dois pontos acima do time treinado por Frank Lampard.

No entanto, agora, o Burnley tem um jogo a mais do que o clube azul de Liverpool, podendo ser ultrapassado.

Defesa do Burnley deu duro para garantir a vitória. (Créditos da imagem:https://www.thestar.com/sports/soccer/2022/04/24/burnley-out-of-pl-relegation-zone-with-1-0-win-over-wolves.html

Já o Wolverhampton permanece na zona de cima da tabela, com 49 pontos, em oitavo lugar, 5 atrás do Manchester United. Assim, o sonho de conquistar uma vaga para a Liga Europa da UEFA ainda permanece vivo, já que os Red Devils vêm em franca decadência.

Por outro lado, tendo um jogo a menos, a distância relativa cai para apenas 2 pontos, o que daria um empate com o West Ham, que tem hoje 52 pontos, mas ficaria para trás por conta do número de vitórias (caso vença o seu jogo atrasado, os Wolves terão 16 vitórias).

A torcida do Burnley esteve em peso no estádio e apoiou bastante a vitória do time neste domingo. (Créditos da imagem: https://twitter.com/BurnleyOfficial/status/1518311343434125315/photo/3

Como foi a partida

Ainda no desespero, após a demissão de Sean Dyche, que estava no comando do Burnley desde a temporada de 2012, o time da casa começou o jogo num 442 para enfrentar o 343 do português Bruno Lage.

O Wolverhampton até dominou a partida, terminando com mais de 62% de posse de bola, o dobro de escanteios (6 a 3), mas menos chutes (14 a 10 para o Burnley). O time da casa marcou mais, desarmou mais e interceptou mais bolas, mostrando muita garra e determinação para sair vencedor.

O gol da vitória veio aos 62 minutos, quando Matej Vydra acertou um bom chute, superando o goleiro Sa.  Digno de nota também foi Nick Pope, arqueiro do Burnley, que terminou sem levar gols pela nona vez nesta temporada da Premier League.

Quem também jogou bem foi Connor Roberts, sendo uma boa válvula de escape nos momentos de aperto. Charlie Taylor, na zaga, deu segurança, bloqueando as fortes subidas adversárias ao ataque, principalmente de Semedo.

Escalações

Burnley: Pope, Roberts, Tarkowski, Collins, Taylor, Rodriguez, Brownhill, Cork, McNeill, Vydra, Weghorst. Técnico: Michael James Jackson.

Wolves: Sa, Semedo, Boly, Coady, Saiss, Jonny, Moutinho, Dendoncker, Silva, Jimenez, Hwang. Técnico: Bruno Lage.

Compartilhe esse conteudo