Sensação da Copa do Brasil, por ter eliminado o Internacional na fase passada, o Globo FC agora dá adeus à competição

Foi suado, sob um temporal, em pleno Estádio Barretão. Mas o Brasiliense superou o Globo FC, dono da casa, e a chuva, além da tensão das penalidades máximas para avançar à terceira fase da Copa do Brasil.

O primeiro tempo foi bastante morno. Tanto a Águia de Ceará-Mirim quanto o Jacaré ficaram se estudando, como boxeadores que planejam entender a estratégia do adversário antes de tentar uma ofensiva.

Assim, a melhor chance foi para os donos da casa. Numa cobrança de escanteio de Hiltinho, Ramon deu a famosa raspadinha para Rômulo, que acertou a trave. A defesa do Brasiliense ficou apenas olhando a jogada se desenrolar. 4 minutos depois, aos 22, Railon, do Brasiliense, exigiu bom trabalho do arqueiro Iago Hass.

Se as emoções vinham da bola parada, na segunda etapa o roteiro mudou bem aos 6 minutos. Tobinha fez um gol chorado para o Brasiliense: ele recebeu na frente do goleiro e deu um toque, a pelota beijou a trave e ultrapassou a linha final. Logo aos 11 minutos, o Brasiliense quase ampliou, mais uma vez com Tobinha, mas Iago Hass parou o atacante do Jacaré.

Vendo que a sua equipe precisa de um novo gás, o técnico Jaelson Marcelino mudou o atacante Luquinhas por Daniel Alagoano, e Zotti por outro meia, Aloísio. Três minutos mais tarde, num escanteio, o zagueiro Eduardo Bahia cabeceou para o fundo das redes. Era o empate do Globo FC.

O goleiro Sucuri, do Brasiliense, pegou dois pênaltis


Aos 35 minutos da etapa final, o volante Hitalo, do Globo, e o lateral Weverton Goduxo, do Brasiliense, foram expulsos após uma confusão generalizada. Prevendo uma pressão do Globo, o técnico Celso Teixeira, do Jacaré, recuou a sua equipe: o atacante Tobinha, autor do gol, foi substituído por Erick Daltro, um defensor.

E ficou nisso. A decisão foi para as penalidades máximas. O Brasiliense começou cobrando e abriu o placar com Aloísio. Adílio, atacante do Globo, errou a primeira cobrança. A partir daí, foi fácil para o Jacaré conseguir a vaga, já que Alessandro Maranhão também parou no goleirão Sucuri. Ele defendeu as duas cobranças e foi o herói da noite.

Pela vitória, o Brasiliense recheou os cofres com mais R$1,9 milhão. Curiosamente, a melhor participação do clube na Copa do Brasil se deu logo na estreia, quando foi vice-campeão em 2002, parando apenas para o Corinthians de Marcelinho Carioca e Carlos Alberto Parreira.

Com a derrota do Globo FC, agora não há mais nenhum representante potiguar vivo na Copa do Brasil. O ABC também foi eliminado para o Altos.

Compartilhe esse conteudo