Ituano comemora seu segundo título da série C de 2021. Créditos: Fernando Roberto

Veja aqui tudo o que há de importante para se entender sobre a série C do Campeonato Brasileiro de Futebol. Boa leitura!

Atualmente, o Campeonato Brasileiro de Futebol é composto por 4 divisões principais, chamadas de série A, B, C e D. Aqui entraremos em detalhes na série C, que representa o terceiro nível dentro da liga.

Em resumo, veremos um pouco sobre a história da divisão, como se deu sua formação e evolução até os dias atuais. Além disso, veremos detalhes técnicos sobre essa divisão, pontuando as equipes que mais venceram, equipes que disputam a atual temporada. Por fim, veremos como essa divisão é organizada quanto à divisão de partidas pela temporada.

História e Formatos Adotados

A idealização de criar um terceiro nível para o campeonato nacional surgiu no início de 1980, e nesse momento o campeonato já contava com as duas primeiras divisões como as conhecemos hoje, mas levavam os nomes de Taça Ouro e Taça Prata.

Foi então que chegou ao conhecimento do então presidente da CBF, Giulite Coutinho, a possibilidade da criação de uma terceira divisão para o campeonato, que poderia levar o nome de Taça de Bronze. O objetivo dessa ideia seria dar um espaço, a nível profissional, para clubes que não tinham vagas dentro das duas primeiras divisões.

Foi então que, apenas um ano depois da primeira ideia, a Taça Bronze (atual série C) surgiu no Brasil. Essa primeira temporada de 1981 contou com 24 clubes, que no projeto deveriam ser compostos por um clube de cada estado, com exceção ao Rio de Janeiro e São Paulo, que colocariam duas equipes cada um para disputar o título.

Logomarca do campeonato. Créditos: Wikipédia)

Apesar disso, os planos não seguiram como esperado para essa primeira temporada, com São Paulo e Rio de Janeiro não colocando um time se quer dentro da competição por conta de uma antecipação nos campeonatos estaduais desses estados. Isso fez com que a primeira temporada seguisse com clubes provisórios para que os 24 clubes fossem alcançados.

O primeiro formato adotado consistia em duas fases eliminatórias iniciais, que deram classificação para duas semifinais triangulares. Desses 6 clubes, os melhores disputaram a grande final para o primeiro título da Taça Bronze da história. Essa primeira final foi disputava entre o Olaria e o Santo Amaro, que foi vencida pelo Olaria, que garantiu assim sua vaga para a próxima edição.

Contudo, o torneio não foi lucrativo para ninguém, de forma que até o Olaria teve problemas financeiros após sua conquista. E por incrível que pareça, nem a CBF escapou da crise e decretou o encerramento da Taça Bronze logo na sua primeira edição.

O torneio só retornou 7 anos depois, em 1988, mas as cicatrizes do fracasso ainda assombraram a Taça Bronze. A primeira edição, cotada para 63 equipes, contou apenas com 43 devido ao medo de mais uma falha e crises que poderiam vir.

Esse recomeço trouxe para a divisão o nome” Divisão de Acesso”, que novamente foi um fracasso para a CBF. Essa primeira temporada, vencida pelo União São João, deu espaço para que as duas primeiras colocadas fossem promovidas para a série B, mas novamente uma crise chegou nos clubes e na divisão após a primeira temporada.

Isso fez com que, mais uma vez, a CBF eliminasse a divisão por mais dois anos, que retornou somente em 1990. Dessa vez, com o objetivo de aumentar o nível do futebol, foi iniciada pela primeira vez uma seletiva para que clubes conquistassem suas vagas. Ao final dessa, 30 clubes participaram da temporada de retorno.

A competição veio ao final e mais uma vez foi descontinuada, e boatos dizem que essa descontinuação foi por conta de uma manobra para evitar o rebaixamento do Curitiba para a série C.

O retorno veio em 1992, sendo descontinuada mais uma vez após o fim dessa temporada. Vemos que o início da divisão foi marcado por muitos percalços, e a mesma se consolidou somente a partir de 1994 – com a exceção da temporada de 2000.

Clubes da atual temporada da Série C. Créditos: Youtube.


Algo que mesmo após a consolidação não se estabilizou foi a quantidade de clubes disputando, que variou de 36 clubes até incríveis 107 na temporada de 1995. Também é interessante notar que o primeiro clube a ser rebaixado da série A para a série C foi o Fluminense em 1999, foi campeão da mesma e, por conta da Copa João Havelange, pulou diretamente para a série A pela falta da segunda divisão em 2000.

Com o passar dos anos, visto que a divisão não atraía o público como a CBF esperava, uma mudança de regulamento com o intuito de reverter essa situação foi promovida. Assim, a partir de 2009 a competição contaria com apenas 20 clubes (os 16 melhores [quinto ao vigésimo colocados] + os 4 rebaixados da série B), sendo os “eliminados” colocados na série D que foi criada também nesse ano.

O formato da competição também sofreria uma mudança drástica, sendo jogado agora com 4 grupos de 5 clubes em uma disputa por pontos. Uma próxima fase seria então jogada no formato de mata-mata para decidir o topo da disputa. Dessa forma, os melhores de cada grupo disputariam as semifinais, enquanto o pior de cada grupo seria imediatamente rebaixado para a recém criada série D.

A temporada de 2011 contou com um formato diferente, no qual, após a fase de grupos, dois quadrangulares foram disputados para decidir o campeão e as promoções. O formato adotado em 2012 durou até 2020, anos nos quais foram organizadas duas chaves com 10 equipe, onde os quatro melhores de cada grupo passariam para as quartas de final e os dois piores de cada grupo seriam rebaixados para a série D.

Em 2020, uma pequena mudança aconteceu, que colocou para a segunda fase dois quadrangulares ao invés das antigas quartas de final, e esse formato prevalece até hoje.

Formato Atual

Hoje, as temporadas da série C são disputadas por 20 clubes, esses que são divididos em dois grupos antes do início dos jogos. O formato de jogos feitos é o double round-robin, que organiza dois confrontos entre cada equipe, um sendo em casa e um fora de casa.

Dessa forma, 18 jogos são feitos por cada uma das equipes dos dois grupos. A soma dos pontos conquistados durante essa fase (3 pontos por vitória, 1 ponto por empate) formam duas tabelas (uma para cada grupo), e dessas são retirados os rebaixados (dois últimos de cada tabela) e os que passarão para a fase final (quatro primeiros de cada tabela).

A segunda fase da disputa conta com os oito clubes classificados, que disputarão novamente o mesmo formato, mas dessa vez em dois grupos de quatro equipes. Os dois melhores de cada grupo são promovidos à série B, enquanto o melhor de cada grupo participa de uma final geral que vale o título da temporada.

Quanto aos critérios de desempate, a ordem segue a seguinte:

- Número de Pontos

- Número de Vitórias

- Saldo de Gols

- Gols Marcados

- Vitórias em Confronto Direto

- Menor Número de Cartões Vermelhos

- Menor Número de Cartões Amarelos

- Sorteio

Clubes na Temporada Atual (2022)

Veja aqui quais clubes disputam a temporada de 2022 da série C do Campeonato Brasileiro de Futebol:

- ABC

- Altos

- Aparecidense

- Atlético Cearense

- Botafogo-PB

- Botafogo-SP

- Brasil de Pelotas

- Campinense

- Confiança

- Ferroviário

- Figueirense

- Floresta

- Manaus

- Mirassol

- Paysandu

- Remo

- São José-RS

- Vitória

- Volta Redonda

- Ypiranga de Erechim

Títulos por Clube

Troféu do Brasileirão Série C. Créditos: Lucas Figueiredo/CBF

A série C nunca foi muito dominada por uma equipe, como acontece em algumas divisões ou ligas. Em sua última temporada, o clube vencedor foi o Ituano, conquistando seu segundo título da Série C.

Veja aqui abaixo todos os clubes que já conquistaram o título da série C desde a sua fundação, lembrando que algumas temporadas nesse meio tempo não foram disputadas:

- Vila Nova (3 títulos): 1996, 2015 e 2020

- Atlético Goianiense (2 títulos): 1990 e 2008

- Ituano (2 títulos): 2003 e 2021

- Sampaio Corrêa (1 título): 1997

- América Mineiro (1 título): 2009

- Boa Esporte (1 título): 2016

- Remo (1 título): 2005

- ABC (1 título): 2010

- Criciúma (1 título): 2006

- Red Bull Bragantino (1 título): 2007

- Náutico (1 título): 2019

- Olaria (1 título): 1981

- União São João (1 título): 1988

- Tuna Luso (1 título): 1992

- GE Novorizontino (1 título): 1994

- XV de Piracicaba (1 título): 1995

- Avaí (1 título): 1998

- Fluminense (1 título): 1999

- Paulista (1 título): 2001

- Brasiliense (1 título): 2002

- União Barbarense (1 título):  2004

- Joinville (1 título): 2011

- Oeste (1 título): 2012

- Santa Cruz (1 título): 2013

- Macaé (1 título): 2014

- CSA (1 título): 2017

- Operário-PR (1 título): 2018

Chegamos, então, ao final desse texto sobre a série C do Brasileirão. Se você tiver interesse em saber mais sobre o futebol do Brasil, ou até mesmo do mundo, temos artigos disponibilizados exclusivamente aqui no Bets todos os dias.

Portanto, um grande abraço e até a próxima!

















Compartilhe esse conteudo