Última vez que isso aconteceu foi em 2003, quando o Esquadrão não se classificou para a segunda fase do Baian

Aconteceu o que os torcedores do Bahia esperavam: o clube venceu a sua partida na última rodada do Campeonato Baiano de 2022, contra o Vitória da Conquista, mas foi eliminado do torneio estadual.

Com 12 pontos, o Bahia terminou a sua participação em sexto lugar, totalizando 3 empates, 3 derrotas e 3 vitórias. A reação dos comandados de Guto Ferreira veio tarde demais. Faltaram 3 pontos para conseguir a quarta e última colocação, o que lhe daria a vaga nas semifinais.

Para o jogo na Arena Fonte Nova, apenas 4 mil pagantes, que geraram uma renda de cerca de R$45 mil. Eles viram o Esquadrão começar com tudo. O atacante Marco Antônio abriu o marcador aos quatro minutos.

O colombiano Hugo Rodallega, feliz pelo contrato renovado, fez o segundo e o terceiro gols ainda no primeiro tempo. Com um pouco mais de capricho, tanto Marco Antônio quanto Daniel poderiam ter levado o Bahia para o intervalo com um 5 a 0 a favor.

Desde o Baianão 2003 que o Bahia não era eliminado na primeira fase. Naquela ocasião, o Esquadrão ficou na última colocação de seu grupo (3 dos 4 integrantes passavam de fase).

O paraguaio Óscar Ruiz será reintegrado ao elenco de atletas, segundo o diretor Eduardo Freeland

Já o Vitória da Conquista esteve entregue na segunda etapa. O clube fez uma das piores campanhas do estadual e acabou rebaixado, terminando com 7 pontos, mesma pontuação do lanterninha Unirb, e também do Doce Mel (que ficou na primeira divisão graças ao saldo de gols melhor). Pesou contra o Vitória da Conquista ter a pior defesa do torneio: foram 15 gols tomados em 9 partidas.

Após a partida, o técnico Guto Ferreira pediu desculpas, assumindo que toda a temporada do Bahia começou de forma lamentável: “Tiveram erros de planejamento. De situações de gestão de quem tinha que sair, quem tinha que entrar. Tempo. Vocês não podem esquecer que, em dezembro, muitos desses classificados já estavam treinando. A gente estava entrando em férias ainda. Tivemos dificuldades iniciais de contratação”.

O novo diretor de futebol, Eduardo Freeland, também deu a cara a tapa. Ele lamentou a eliminação, mas ressaltou o "clima de inconformismo no vestiário". Freeland também declarou: "O momento é de olhar para frente, entender que estamos em um processo de reconstrução. A gente espera que, a partir de agora, na sequência desses dois triunfos, a gente consiga olhar para frente e atingir os objetivos que serão tão importantes na temporada".

Ainda antes da partida, Eduardo Freeland havia revelado a necessidade de remontar o elenco do Bahia. Assim, ele prevê "de seis a oito contratações":

"São jogadores que vão vir ou para serem titulares ou reservas imediatos numa posição que, de repente, a gente já tenha titular absoluto, para contribuir, para estar entre os 16 ou 18 atletas. A gente sobe [para a Série A do Brasileirão] com os 30 jogadores que estão no elenco. Mas, a diferença que fazem dentro do campo são os 15 ou 16 atletas”.
Compartilhe esse conteudo