Inscrito no Paulistão, o veterano atacante de 34 pode se beneficiar do mau momento de Jô

O atacante Júnior Moraes, que estava no Shakhtar Donetsk, foi apresentado pelo Corinthians. Ele, que vestia a camisa 10 no time ucraniano, recebeu o número 18. Formado no Santos, Júnior Moraes é filho de Aluísio Guerreiro, ídolo do Peixe. Sua experiência em estaduais não é pouca: Moraes já marcou o gol do título santista no Paulista de 2007.

Com 1,76m, ele fez a carreira predominantemente na Europa, em times menores, como o Gloria da Romênia, além de passar por CSKA Sofia da Bulgária. Na Ucrânia, Júnior Moraes é ídolo: maior artilheiro do Metallurg Donetsk, com 37 gols, ele também é o brasileiro com mais gols pelo Shakhtar, superando até mesmo Luiz Adriano.

Júnior Moraes estava curando a lesão no clube e já passou ao treino de campo

Como se sabe, depois que a Rússia declarou guerra à Ucrânia, os jogadores estrangeiros podem assinar contratos temporários com outros clubes. São mais de 40 brasileiros entre a primeira e a segunda divisão ucranianas.

Júnior Moraes se declarou "muito triste" pelos acontecimentos extra campo e se emocionou ao comentar o tema: "A única esperança que os ucranianos têm é essa guerra parar. Muitos já foram embora para se manterem seguros. Outros se encontram em bunkers sozinhos, só esperando a guerra acabar".

Naturalizado ucraniano, Júnior Moraes poderia até ser chamado para defender o país. Ele já jogou na seleção ucraniana. Vale dizer que Moraes doou cerca de 50 mil euros para o governo ucraniano, como forma de ajuda para as vítimas de guerra.

Tentando focar no futebol, o atacante ainda precisará de algum tempo para voltar ao melhor condicionamento físico, já que ficou quase um mês parado, até decidir retornar ao seu país natal. Com contrato válido até o fim do ano que vem, ele já se colocou à disposição do técnico português Vitor Pereira para ajudar.

Jô não vive um bom momento no clube e ainda falhou na reapresentação do elenco nesta semana

Assim, ele pode estrear já nesta quinta-feira, contra o Guarani. Moraes comentou também a possível pressão da torcida: “Não me sinto pressionado, mas acredito que tenha expectativa de muita gente por me ver jogando. Vai ser um desafio grande para mim voltar e vestir essa camisa, nessa posição que é tão prestigiada, como centroavante. Quero estar bem preparado para desempenhar meu melhor futebol”.

Com relação à posição, Júnior Moraes quer ajudar independente de atuar centralizado ou se movimentando mais: “Acredito que a versatilidade que tenho, de mudar conforme o espaço que eu for encontrando, para ser eficiente, é uma das melhores características que tenho. Acho que centroavante não pode viver só de gols, tem que ser eficiente em abrir espaços e dar assistência. Eu fico muito feliz dando assistências para meus companheiros. Se tiver que dar um carrinho e tirar uma bola, vou fazer”.

A última vez que um jogador corintiano ultrapassou a barreira dos 20 gols foi em 2017, quando Jô estava em estado de graça e foi fundamental para o título brasileiro daquela temporada. Ele terminou o ano com 25 gols. No entanto, neste ano ele fez apenas um gol em 6 partidas (metade das que o Corinthians disputou em 2022).

E é justamente Jô quem pode dar lugar a Júnior Moraes. O histórico atacante corintiano foi comemorar o seu aniversário em solo carioca e não voltou a tempo, perdendo o treino de segunda-feira.

No entanto, se não tem um homem-gol, o Corinthians tem conseguido se virar lá na frente. E muito bem, por sinal: é o ataque mais positivo do torneio, com 19 gols em 12 partidas (ao lado de Red Bull Bragantino e Ituano).

Compartilhe esse conteudo