O torneio venezuelano tem ajudado na revelação de jogadores para a seleção nacional

Um dos grandes torneios do pequeno território sul-americano, a Copa Venezuela teve seu início de disputa em 1932. De lá para cá, o torneio passou por alterações no número das equipes participantes, e o surgimento de novos times campeões.

Entre os vencedores, a equipe com mais títulos é o Caracas, time da capital do país. Com cinco conquistas, nos anos de 1987, 1993, 1994, 2009 e 2013, o clube é considerado como a maior equipe do esporte local.

Por curiosidade, o torneio não é disputado desde 2019, sendo as edições de 2020 e 2021 canceladas, por conta da pandemia decorrente do Coronavírus. Portanto, o último campeão da Copa Venezuela, foi o time do Zamora, em final contra a equipe do Monagas.

Além do fato de ser uma das competições mais relevantes do cenário nacional, junto ao Campeonato Venezuelano, o torneio tem servido para ajudar na montagem de uma seleção forte, e que possa emplacar boas campanhas nas competições continentais.

Entre as últimas revelações, algumas desembarcaram no Brasil nos últimos anos, e fizeram uma história linda nos clubes daqui. E a mescla entre a juventude e a experiência, é a aposta da federação local para que a Venezuela consiga se destacar na América do Sul.

Rondón é o maior artilheiro da história da seleção e principal líder da equipe

Dono de uma carreira de destaque em clubes de médio porte da Europa, Salomón Rondón é um dos maiores jogadores da história da Seleção Venezuelana.

O jogador de 32 anos, que atualmente defende o Everton (Inglaterra), teve destaque maior nas passagens pelo Málaga (Espanha) e Zenit (Rússia).

Jogador de futebol

Descrição gerada automaticamente
Rondón é o maior artilheiro da seleção local. Foto: Globo Esporte

O atacante venezuelano fez a maior parte da carreira fora do país de origem, mas desde jovem já frequenta a seleção nacional. Ao todo, são 84 jogos pela Seleção Venezuelana, e 34 gols marcados.

Depois de anos sem ter uma companhia de qualidade na seleção nacional, o atacante encontrou em dois jovens meias, que vieram para o Brasil recentemente, uma dupla boa e que poderia melhorar o nível da Venezuela: Savarino e Soteldo.

Savarino chega ao Atlético Mineiro em 2020 e logo se destaca

Um dos jogadores que teve bom desempenho pelas Eliminatórias Sul-Americanas da Copa do Mundo, Jefferson Savarino foi revelado pelo time do Zulia. Permanece na equipe venezuelana por quatro temporadas, até o ano de 2017, quando é emprestado para o Real Salt Lake (Estados Unidos).

Lá, o jogador soma bons números com a camisa do time americano, de 91 partidas disputadas e 22 gols marcados. Juntando isso, às boas atuações com a camisa da Venezuela, o Atlético Mineiro, a pedido do técnico da época, Rafael Dudamel, contrata o jogador.

Jogador de futebol no campo

Descrição gerada automaticamente
Savarino tenta jogada pela Venezuela. Foto: Jornal O Tempo

Savarino desde 2020 veste a camisa do Galo, e foi um dos grandes nomes das conquistas da equipe no ano passado, com os títulos do Campeonato Mineiro, Copa do Brasil e Campeonato Brasileiro. Além disso, já levantou mais um troféu esse ano, com o título da Supercopa do Brasil.

O baixinho irreverente que conquistou a Vila Belmiro é venezuelano

Yeferson Soteldo, meia-atacante que foi revelado pelo time do Zamora, teve um enorme destaque no Brasil, ao jogar pelo Santos, com a camisa que pertenceu ao rei Pelé. O jogador, de muita habilidade, foi um pedido do treinador santista, Jorge Sampaoli.

Além de se destacar com os dribles e arrancadas, o jogador de 1,60 metros, chuta bem com as duas pernas e foi um dos melhores jogadores do Santos na campanha do clube da Copa Libertadores de 2020.

Jogador de futebol de uniforme

Descrição gerada automaticamente
Soteldo comemora gol em partida da Venezuela. Foto: Globo Esporte

Nessa edição, a equipe santista bateu na trave, e por pouco, não levou o quarto título do torneio. Na decisão contra o rival Palmeiras, um gol aos 43 minutos do segundo tempo, tirou a taça do time da Vila Belmiro.

A queda do Caracas nos últimos anos, dá espaço para novos times no cenário venezuelano

Fundado em 1967, o time do Caracas é um dos grandes clubes do esporte local, e emplacou grandes conquistas em sua trajetória esportiva. Além da Copa Venezuela, o clube já venceu em 12 oportunidades o Campeonato Venezuelano, com a última conquista em 2019.

Desde 2013 sem conquistar a Copa Venezuela, o que se vê na competição é uma alternância entre os times ganhadores do torneio. Em 2014 e 2015, o Deportivo La Guaira foi o grande vencedor dessas edições.

Na sequência, o Zulia vence nos anos de 2016 e 2018, o Mineros de Guayana ganha o troféu em 2017, e o Zamora fecha a lista dos últimos vencedores, com a taça levantada em 2019. O afastamento da tradicional equipe do Caracas, das conquistas da Copa nacional, passa pelos problemas financeiros vividos nos últimos anos.

Além disso, a montagem equivocada de elenco nas últimas temporadas, acabaram deixando o clube sem as glórias obtidas em um passado recente, e que são lembradas até hoje por seus torcedores.

Os outros vencedores do torneio e a edição de 2022

Além do Caracas, o Galicia de Aragua possui também cinco conquistas do torneio. No restante da lista dos ganhadores estão: Mineros de Guayana, Portuguesa e Petare (3); Estudiantes de Mérida, Trujillanos, Canarias, Portugués, Valencia, Marítimo de Venezuela, Deportivo Anzoátegui, Deportivo La Guaira e Zulia (2); Deportivo Táchira, Zamora, Atlético Zamora, Anzoátegui FC, Universidad de Los Andes, Aragua e TIquire (1).

A edição de 2022 ainda não foi confirmada pela Federação Venezuelana. Como dito antes, o motivo da não realização das últimas duas edições do torneio, é por conta da pandemia mundial decorrente do Coronavírus.

Quer ficar ligado em tudo o que rola no futebol da Venezuela? Aqui no Bets, você não perde nenhum lance e vive antenado, sobre tudo o que rola no mundo da bola!

Compartilhe esse conteudo